.
 

Tratando vítimas de animais venenosos Laje BA

Saiba o que fazer em casos de acidentes com animais peçonhentos ou venenosos. O autor descreve os animais que possuem toxinas. Conheça os métodos para prevenir o contato com eles.

Gilson Andrade
(75) 3631-3400
Rua Landulfo Alves S/N S/ 111 - 113 115
Santo Antonio de Jesus, Bahia
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Agostinho Renato Gobira Alves
(71) 3117-1620
Pç Conselheiro João Alfredo 00 - S/N
Salvador, Bahia
Especialidade
Medicina de Urgência

Dados Divulgados por
Adilson Barbosa da Silva
(71) 3521-1623
R Doutor Eduardo Dotto 12 - Clínica Nossa
Salvador, Bahia
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Denise Sales Moreira Negreiros
(71) 3358-0444
Av a C M - Centro Empresarial Itaigara S/302
Salvador, Bahia
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Virginia Silva Lago
(71) 3358-2442
Av Acm 454 - Ed. Office Center S/301
Salvador, Bahia
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Fernando Carlos P de Queiroz Filho
(75) 3631-4310
Av Roberto Stos S/N - Shop Itaguari S301
Santo Antonio de Jesus, Bahia
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Maria de Fátima Martins Fortuna
(71) 3357-8800
Av Dom João Vi 1291 - Hospital Evangélico da Bahia
Salvador, Bahia
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Maria de Fátima V Albuquerque
(71) 3243-6963
Av Sete de Setembro 29 - Ed São Luiz S/202
Salvador, Bahia
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Gilson Soares Feitosa Filho
(71) 2203-8214
Praça Almeida Couto 500
Salvador, Bahia
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Maria Auxiliadora S Haanwinckel
(71) 3350-6156
R Altino Serbeto de Barros 241 - S/506 I Memorial
Salvador, Bahia
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Tratando vítimas de animais venenosos

Fornecido por: 



14/01/2010

Acidentes com animais venenosos e peçonhentos, típicos do verão, podem ser evitados

O número de acidentes dessa natureza aumenta no verão, diz secretaria da saúde

O número de acidentes com animais peçonhentos ou venenosos, como lagartas urticantes, aranhas armadeiras e águas-vivas é maior no verão, quando há grande procura por lazer junto à natureza. O Centro de Informações Toxicológicas (CIT), da Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde (FEPPS), vinculado à Secretaria Estadual da Saúde, explica que o calor favorece a proliferação desses agentes e garante que cuidados simples podem evitar acidentes.

O que fazer para evitar acidentes

  • Sacuda e examine calçados e roupas antes de usar;
  • Mantenha limpos os locais próximos às residências (evite acúmulo de lixo, entulhos e materiais de construção).
  • Não coloque mãos e pés em buracos, montes de pedra ou lenha.
  • Use sempre calçados e luvas nas atividades rurais.
  • Utilize telas e vedantes em portas e janelas.
  • Crie aves domésticas (predadores naturais) em zonas rurais.
  • Evite contato com lagartas, olhando atentamente para folhas ou troncos de árvores antes de encostá-los.
  • Atente para a presença de águas-vivas e caravelas no local de banho.

O que fazer em caso de acidente

  • Procure a unidade de saúde mais próxima.
  • Ligue 0800.721.3000 - Plantão do CIT/RS, funciona 24 horas e orienta sobre os primeiros socorros e onde obter soro.
  • Imobilize o membro atingido e mantenha-o em posição elevada.
  • Não fure, corte, esprema, faça sucção ou torniquete.
  • Nos acidentes provocados por água-viva, use água do mar no local de contato até receber auxílio médico.

Principais animais peçonhentos ou venenosos "de verão"
 

Animais peçonhentos e venenosos possuem toxinas, a diferença é que os peçonhentos têm estruturas especializadas (dentes, ferrões, aguilhões) para inoculação destas toxinas.

ANIMAIS AQUÁTICOS: os acidentes mais importantes ocorrem com águas-vivas e caravelas. São animais simples, de estrutura circular, com tentáculos capazes de injetar veneno por um microaguilhão que dispara quando são tocados. O quadro clínico inclui ardência e dor intensa no local atingido. Podem ocorrer manifestações menos localizadas: nos casos mais graves há relatos de dor de cabeça, mal-estar, náuseas, vômitos, espasmos musculares, febre, arritmias cardíacas, quadros urticariformes e erupções recorrentes.
ARANHA-MARR...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535