.
 

Tratamento de contaminação da córnea Santo Antônio do Tauá PA

Encontre tratamento de contaminação de córnea em Santo Antônio do Tauá. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Maria de Fatima Mesquita Jorge Joao
Trav.Ove de Janeiro 2110 - Sala 1601Ed. Wall Street
Belem, Pará
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Priscilla Leite Dias
(91) 3222-6145
R Ferreira Cantao 454 - Sala 01
Belem, Pará
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Manoel de Almeida Moreira
(91) 223-0692
Rua Antonio Barreto 380
Belem, Pará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Diana Ecila Tavares Acatauassu Teixeira
913-2424
Tv Quatorze de Marco 1299
Belem, Pará
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Murillo Chaves
(91) 3228-3672
av Alcindo Cacela, 1264 SALA 105
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Anatomo Patologistas Associados S/A
R Ferreira Cantao 454 - S/2
Belem, Pará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Mario Fernando Ribeiro de Miranda
(91) 241-1048
Av Alm Wandenkolk 1243 - Sala 704
Belem, Pará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Fernando Antonio Martins
(91) 3236-4186
Av. Duque de Caxias 1540
Belem, Pará
Especialidade
Administração em Saúde

Dados Divulgados por
Ambulatório Campinas
(91) 3224-9531
r Gal Gurjão, 45, Campina
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Sociedade de Anestesiologiado Estado do Pará
(91) 3249-8329
r Pariquis, 3001 s 1202
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Tratamento de contaminação da córnea

Fornecido por: 

O número de brasileiros que usa lentes de contato teve um crescimento de quase 50% nos últimos dois anos. Saltou de 1,7 milhão para 2,5 milhões com predominância de mulheres, segundo levantamento da SOBLEC (Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratometria). De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, o maior benéfico da lente de contato é não limitar o campo visual, mas ele afirma que nas duas últimas semanas dobrou o número de usuários que chegou ao consultório com irritação ocular. A análise química das lentes mostrou que todas continham depósitos de proteína apesar dos pacientes fazerem limpeza com soluções multiuso. O especialista diz que estão sumindo das farmácias as soluções enzimáticas indicadas para remoção de proteínas que complementa a higienização. Na falta desses removedores recomenda fazer a desimpregnação com um oftalmologista a cada 15 dias para assegura a saúde ocular e a integridade das lentes. Isso porque, a insistência em usar lentes impregnadas pode causar desde diminuição da acuidade visual, até alergia e contaminação da córnea por bactérias, fungos ou vírus que dependendo da agressividade do agente leva à perda da visão.

Já nas lentes provoca desidratação, alterações na textura, coloração e transparência que reduzem a vida útil. O problema, comenta, afasta das atividades diárias os portadores de ceratocone, alteração que afina a parte central da córnea. Isso porque, nas fases mais avançadas a doença requer correção visual com lentes de contato rígidas que não podem ser substituídas por óculos, como é o caso de vícios de refração menos severos. Na tentativa de melhorar o conforto, comenta, muitas pessoas que têm ceratocone exageram na fricção e acabam perdendo as lentes que têm alto custo.   Os principais sintomas dos depósitos de proteína são: intolerância às lentes, olhos vermelhos, sensação de corpo estranho e visão embaçada. Todos são sinais de alerta para interromper o uso e procurar um oftalmologista de confiança imediatamente.   FATORES QUE PROVOCAM DEPÓSITOS   Queiroz Neto explica que nesta época do ano os depósitos protéicos são mais freqüentes porque os aumentos da temperatura e da radiação ult...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535