.
 

Tratamento de contaminação da córnea Rio Branco, Acre

Encontre tratamento de contaminação de córnea em Rio Branco. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Gilcilene de Souza Almada Pereira de Araujo
R Rua Dom Bosco 573
Rio Branco, Acre
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Clínica Centrocor
(68) 3223-5193
r Alvorada, 54 Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Clinisaúde
(68) 3223-4054
r Mal Deodoro,690 Capoeira
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Clini Parque
(68) 3224-1077
Tv Campo do Rio Branco, 313 Capoeira
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Centro Acreano de Pesquisa e Assistência Integrada
(68) 3223-5588
r Goldwasser Santos, 31 Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Antonio Lisboa Carneiro Braga
(68) 3223-9023
Rua Alvorada 178 - Centro Médico/Sala 08
Rio Branco, Acre
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Consultório Médico
(68) 3222-7170
r Epaminondas Jacome, 178 Cadeia Velha
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Clinicas Reuniodas
(68) 3223-6008
r José Melo, 107 Q.107 sL.80 Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Med Medicina Diagnóstico
(68) 3223-3705
av Getúlio Vargas, 1940 Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Clínica Santa Lúcia
(68) 3224-8057
av Getúlio Vargas, 1919 s 2 Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Tratamento de contaminação da córnea

Fornecido por: 

O número de brasileiros que usa lentes de contato teve um crescimento de quase 50% nos últimos dois anos. Saltou de 1,7 milhão para 2,5 milhões com predominância de mulheres, segundo levantamento da SOBLEC (Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratometria). De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, o maior benéfico da lente de contato é não limitar o campo visual, mas ele afirma que nas duas últimas semanas dobrou o número de usuários que chegou ao consultório com irritação ocular. A análise química das lentes mostrou que todas continham depósitos de proteína apesar dos pacientes fazerem limpeza com soluções multiuso. O especialista diz que estão sumindo das farmácias as soluções enzimáticas indicadas para remoção de proteínas que complementa a higienização. Na falta desses removedores recomenda fazer a desimpregnação com um oftalmologista a cada 15 dias para assegura a saúde ocular e a integridade das lentes. Isso porque, a insistência em usar lentes impregnadas pode causar desde diminuição da acuidade visual, até alergia e contaminação da córnea por bactérias, fungos ou vírus que dependendo da agressividade do agente leva à perda da visão.

Já nas lentes provoca desidratação, alterações na textura, coloração e transparência que reduzem a vida útil. O problema, comenta, afasta das atividades diárias os portadores de ceratocone, alteração que afina a parte central da córnea. Isso porque, nas fases mais avançadas a doença requer correção visual com lentes de contato rígidas que não podem ser substituídas por óculos, como é o caso de vícios de refração menos severos. Na tentativa de melhorar o conforto, comenta, muitas pessoas que têm ceratocone exageram na fricção e acabam perdendo as lentes que têm alto custo.   Os principais sintomas dos depósitos de proteína são: intolerância às lentes, olhos vermelhos, sensação de corpo estranho e visão embaçada. Todos são sinais de alerta para interromper o uso e procurar um oftalmologista de confiança imediatamente.   FATORES QUE PROVOCAM DEPÓSITOS   Queiroz Neto explica que nesta época do ano os depósitos protéicos são mais freqüentes porque os aumentos da temperatura e da radiação ult...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535