.
 

Tratamento de Osteoporose Aldeias Altas MA

Encontre tratamento de osteoporose em Aldeias Altas. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Angelica T. S. Ramos
(98) 231-2924
Rua Sao Pantaleao 169
Sao Luis, Maranhão
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Romulo Augusto Moreira Lima
(98) 3232-6504
Rua 1282 - Casa
Sao Luis, Maranhão
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Clinimagem - Clinica Medica e Diagnostico Por Imagem Ltda
(98) 3238-6359
r Apicum, 180, Sl 3, Apicum
São Luís, Maranhão

Dados Divulgados por
Ultra Medical - Servicos Medicos Ltda
(98) 3248-0368
r Imperatriz, 16, Qd 52 Jardim Eldorado, Jd Eldorado
São Luís, Maranhão

Dados Divulgados por
Atenção em Saúde em Genética Médica
(98) 3217-4320
Av Colares Moreira, 555, 4º andar, Medical Center Renascença
Sao Luis, Maranhão
Especialidade
Genética Médica

Ibraim Almeida Filho
(98) 3231-3717
Apicum 103 - Centro Médico
Sao Luis, Maranhão
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Icem-Instituto de Cirurgia e Endoscopia
(98) 3232-3011
Rua dos Afogados 241
Sao Luis, Maranhão
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Focus Patologia Diagnóstica
(98) 3082-9696
Av. Prof. Carlos Cunha, n.1 Ed. Medical Jaracaty sl 508
São Luis, Maranhão
Especialidade
Patologia

Clinica Sao Rafael Ltda
(98) 3238-1552
r Quatorze, 12, Areinha
São Luís, Maranhão

Dados Divulgados por
CUIDARE - Serviço Especializado em Reabilitação Funcional
(98) 3221-0844
Av. Getúlio Vargas, 41 - Monte Castelo
São Luís, Maranhão
Especialidade
Terapia Ocupacional, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição, psicologia, geriatria, neurologia

Dados Divulgados por

Tratamento de Osteoporose

Fornecido por: 

A baixa massa óssea (osteoporose ou osteopenia) é um grave problema de saúde pública que afeta milhões de brasileiros. Calcula-se que, após a menopausa, uma em cada três mulheres desenvolvam a doença. Entre os homens, a frequência é de quase 10% após os 65 anos de idade.

Segundo o médico endocrinologista Luiz Henrique Gregório, Diretor da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, o esqueleto é a principal fonte de cálcio do organismo. Assim, sempre que o corpo precisa, "retira" um pouco do cálcio dos ossos, e o repõe depois através da alimentação. Com a idade, este mecanismo vai se desequilibrando e, se a pessoa não tem uma boa reserva de cálcio, vai ficando com os ossos cada vez mais fracos.

Assim, osteoporose é caracterizada, basicamente, pela fragilidade dos ossos, que ficam "porosos" como uma esponja e sujeitos a um número maior de fraturas e acidentes. Na maioria das vezes, a doença se deve à falta de um hormônio feminino, o estrogênio, que ajuda a proteger os ossos e é produzido em quantidade muito menor após a menopausa.

Mas há outras causas secundárias para o problema, como a baixa produção de hormônios masculinos, a diabete, a artrite, o alcoolismo, o uso continuado de remédios feitos com cortisona e problemas na tireoide.

Se não tratada, a osteoporose progride sem sintomas por um longo tempo, até que os ossos começam a se quebrar. Num primeiro momento, surgem microfraturas (muitas vezes na região da coluna, o que causa encurvamento e diminuição da estatura). Depois, começam a acontecer as grandes fraturas, principalmente nos ossos do quadril, da coluna, das pernas e dos punhos.

Gregório observa que essas fraturas podem provocar danos físicos, sociais e emocionais incalculáveis: "Entre as pessoas mais idosas, quase 50% ficam dependentes da ajuda de outras pessoas pelo resto da vida, e cerca de 20% acabam morrendo no primeiro ano depois da frutura, pois ficam imobilizadas e, muitas vezes, confinadas por um longo tempo, além de serem submetidas a cirurgias complicadas".

Mas, ainda que o enfraquecimento dos ossos seja uma das consequências do avanço da idade, ele pode ser evitado através de métodos preventivos e de tratamentos. "Por isso, é fundamental que as pessoas se manhenham informadas e, depois dos 50 anos, façam os exames necessários de densitometria óssea para acompanhar o nível de desgaste dos ossos", conclui o médico.
 


Autor: Redação
Fonte: Terra


Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535