.
 

Tratamento de Catarata Macapá, Amapá

Encontre tratamento de catarata em Macapá. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Paulo Roberto Balbino
(96) 3223-0737
Avenida 13 - de Setembro 543
Macapa, Amapá
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
José Carlos Esteves Gondim
(96) 3217-2200
Av. Raimundo Alvares da Costa 0000 - Posto da UNIMED
Macapa, Amapá
Especialidade
Administração em Saúde

Dados Divulgados por
L R Fernandes Garcia
(96) 3222-1645
av Ernestino Borges, 172, Laguinho
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
Corpus Diagnostico Medicos
(96) 3223-1177
av Procópio Rola, 104 Central
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
M. T. R. Goncalves - Me
(96) 3222-2360
av FAB, 1835, Central
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
S C da Silva Lab Diagnose
(96) 223-4554
Av Raimundo a da Costa 336
Macapa, Amapá
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Joana Silva Carvalho/Hemodiagnostico
700-0705
Av. Coaracyunes 890
Macapa, Amapá
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Sociedade Beneficiente Mae Luzia S/c Ltda
(96) 3224-3293
r Rondon,Gal, 577, Laguinho
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
R. S. Amorim - Me
(96) 3217-0333
av Mendonça Júnior, 543, Central
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
Sigma
(96) 3223-4188
av Ernestino Borges, 795
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Tratamento de Catarata

Fornecido por: 

A catarata, opacificação do cristalino, é a maior causa de cegueira curável que vem crescendo no mundo todo com o aumento da expectativa de vida da população. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a incidência anual da doença seja de 0,3%. Baseado nisso, o último relatório do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) aponta a necessidade de realizar 552 mil cirurgias de catarata ao ano no País. A única forma de evitar a perda total da visão é através do implante de uma lente que substitui o cristalino, mas no Brasil ainda fica cego 1 em cada 4 portadores da doença por falta de informação e medo da cirurgia.

É o que mostra um estudo feito pelo oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, com 184 pacientes com idade entre 60 e 84 anos nos últimos 15 meses. Dos 25% (46 pacientes) que já chegaram cegos à avaliação médica, todos tinham mais de 75 anos. Desses, cerca de 70% (32 pacientes) não enxergavam com um dos olhos, enquanto outros 30% (14 pacientes) estavam cegos dos dois olhos. Exames clínicos realizados durante o estudo indicaram diabetes em 15% dos participantes, colesterol alto em 17% e hipertensão em 20%. Segundo Queiroz Neto, além do envelhecimento, estas doenças facilitam a progressão da catarata e por isso sinalizam necessidade de exame de vista anual a partir dos 50 anos. Outros fatores de risco destacados pelo médico são:

  • Exposição ao sol sem proteção ocular
  • Rotina estressante
  • Sedentarismo
  • Maus hábitos alimentares
  • Tabagismo
  • Ingestão diária de bebida alcoólica
  • Traumas oculares

Dos que só procuraram o especialista quando já tinham perdido a visão, 62% apontaram a crença de que a perda da visão é um processo natural do envelhecimento sem solução, como motivo para adiar a cirurgia. Outros 37% afirmaram ter medo de sentir muita dor e até perder a vida durante o procedimento.

O médico diz que não há motivos para temer a cirurgia. Hoje, observa, o procedimento é minimamente invasivo, rápido, indolor, as atividades podem ser retomadas em 24 horas e por ser feito com anestesia tópica (com colírio) o risco de à vida é inexistente. Além disso, explica, quanto mais o procedimento é adiado, maior é a rigidez do cristalino o que dificulta a extração e aumenta o risco de complicações cirúrgicas. Por isso, afirma, &eacut...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535