.
 

Tratamento contra dor Arapiraca, Alagoas

Encontre tratamento contra dor em Arapiraca. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Marlon Roberio Goncalves Fernandes
(08) 2521-2566
Rua Sao Francisco 470
Arapiraca, Alagoas
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Martins Pinto
(08) 2221-9311
Rua Buarque de Macedo 576
Maceio, Alagoas
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Otavio Cristiano Leite Cavalcante
(82) 3337-3191
Rua José Freire Moura 235 - 104
Maceio, Alagoas
Especialidade
Medicina de Família e Comunidade

Dados Divulgados por
Thais de Paiva Torres Cardoso
(82) 3336-5957
R Goncalves Dias 207
Maceio, Alagoas
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
João Manoel Veras Vieira
(82) 3377-1911
Av. João Davino 799
Maceio, Alagoas
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Marlon Roberio Goncalves Fernandes
(08) 2521-2566
Rua Sao Francisco 470
Arapiraca, Alagoas
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Vivianne Rocha de Santa Rosa
(82) 3355-8012
R Artur Bulhoes 93
Maceio, Alagoas
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Lucia Coelho Xavier
822-1217
Av Comendador Gustavo Paiva 2990 - Centro Medico Iguatemi
Maceio, Alagoas
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Adeisa Maria Toledo Lyra
(82) 3305-5025
Av Governador Osman Loureiro 49 - Sala 309Centro Empres. Bussiness Tower
Maceio, Alagoas
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Roseana Porto Farias
(82) 3221-1447
Praça Afrênio Jorge 54 - ( Praça da Faculdade)
Maceio, Alagoas
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Tratamento contra dor

Fornecido por: 

Por outro lado, as pessoas são relutantes na hora de procurar ajuda médica para reclamar de alguma dor. Muitas vezes, acreditam que ela é passageira. E procurar um médico por uma dor no dedo é bobagem, certo? Não é bem assim. Segundo Fabíola, nenhuma dor deve ser desprezada.

- Uma dor que não é tratada pode se transformar em uma dor crônica. Mas é comum as pessoas, principalmente as mais idosas, acharem que ela faz parte do envelhecimento. O que é um absurdo.

Além disso, há o medo. Medo de descobrir um problema de saúde mais sério e até mesmo de ter de tomar drogas mais potentes. Muitos preferem tomar caixas de antiinflamatórios a procurar um médico – o que pode trazer um enorme risco para a saúde.

Fabíola explica que "tomar remédios por conta própria pode mascarar e piorar o problema. Cada remédio é indicado para um determinado problema. Um antiinflamatório próprio para dor nas costas não resolve uma dor de cabeça".

Por isso a importância em prestar atenção nos sinais do corpo. Para os médicos, qualquer dor deve ser relatada, principalmente se ela persistir de um dia para o outro.

A questão da dor também é muito discutida entre os profissionais que trabalham com cuidados paliativos, aquele tratamento dado a pacientes que sofrem de doenças graves e incuráveis. Para Fabíola, "hoje nada justifica a pessoa sentir dor. Os remédios para aplacar o sofrimento são indicados em todos os casos, até mesmo para pacientes terminais. É fundamental melhorar a qualidade de vida deles".


Autor: Claudia Pinho
Fonte: R7 Notícias


Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535