.
 

Tratamento contra dor Arapiraca, Alagoas

Encontre tratamento contra dor em Arapiraca. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Marlon Roberio Goncalves Fernandes
(08) 2521-2566
Rua Sao Francisco 470
Arapiraca, Alagoas
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Otavio Cristiano Leite Cavalcante
(82) 3337-3191
Rua José Freire Moura 235 - 104
Maceio, Alagoas
Especialidade
Medicina de Família e Comunidade

Dados Divulgados por
Vivianne Rocha de Santa Rosa
(82) 3355-8012
R Artur Bulhoes 93
Maceio, Alagoas
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Martins Pinto
(08) 2221-9311
Rua Buarque de Macedo 576
Maceio, Alagoas
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Marlon Roberio Goncalves Fernandes
(08) 2521-2566
Rua Sao Francisco 470
Arapiraca, Alagoas
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Thais de Paiva Torres Cardoso
(82) 3336-5957
R Goncalves Dias 207
Maceio, Alagoas
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Marshal Italo Barros Fontes
Rua Prof. Silveira Camerino 1065
Maceio, Alagoas
Especialidade
Genética Médica

Dados Divulgados por
Roseana Porto Farias
(82) 3221-1447
Praça Afrênio Jorge 54 - ( Praça da Faculdade)
Maceio, Alagoas
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Lucia Coelho Xavier
822-1217
Av Comendador Gustavo Paiva 2990 - Centro Medico Iguatemi
Maceio, Alagoas
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Adeisa Maria Toledo Lyra
(82) 3305-5025
Av Governador Osman Loureiro 49 - Sala 309Centro Empres. Bussiness Tower
Maceio, Alagoas
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Tratamento contra dor

Fornecido por: 

Por outro lado, as pessoas são relutantes na hora de procurar ajuda médica para reclamar de alguma dor. Muitas vezes, acreditam que ela é passageira. E procurar um médico por uma dor no dedo é bobagem, certo? Não é bem assim. Segundo Fabíola, nenhuma dor deve ser desprezada.

- Uma dor que não é tratada pode se transformar em uma dor crônica. Mas é comum as pessoas, principalmente as mais idosas, acharem que ela faz parte do envelhecimento. O que é um absurdo.

Além disso, há o medo. Medo de descobrir um problema de saúde mais sério e até mesmo de ter de tomar drogas mais potentes. Muitos preferem tomar caixas de antiinflamatórios a procurar um médico – o que pode trazer um enorme risco para a saúde.

Fabíola explica que "tomar remédios por conta própria pode mascarar e piorar o problema. Cada remédio é indicado para um determinado problema. Um antiinflamatório próprio para dor nas costas não resolve uma dor de cabeça".

Por isso a importância em prestar atenção nos sinais do corpo. Para os médicos, qualquer dor deve ser relatada, principalmente se ela persistir de um dia para o outro.

A questão da dor também é muito discutida entre os profissionais que trabalham com cuidados paliativos, aquele tratamento dado a pacientes que sofrem de doenças graves e incuráveis. Para Fabíola, "hoje nada justifica a pessoa sentir dor. Os remédios para aplacar o sofrimento são indicados em todos os casos, até mesmo para pacientes terminais. É fundamental melhorar a qualidade de vida deles".


Autor: Claudia Pinho
Fonte: R7 Notícias


Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535