.
 

Tratamento contra Obesidade Rio Branco, Acre

Encontre tratamento contra obesidade em Rio Branco. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Personal Trainning Academia
(68) 3227-5765
r Ludislau Ferreira, 1257qd 6 it 13
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Federacao da Agricultura e Pecuaria do Estado do Acre
(68) 3224-1035
r Guiomard Santos, 335, Bsq
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Academia Peefformace
(68) 3225-8577
tv Habitasa, 95 Ceramica
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Kimbra Nutriçao Esportiva
(68) 9972-8071
r Rio De Janeiro ,1670 Floresta
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Noronha & Noronha Ltda - Me
(68) 3226-9129
r Deodoro,Mal, 44, Sj 6, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Movimento Academia
(68) 3224-4898
r Primavera, 239, Bxa Da Colina
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Park Fitnnes Academia Ltda
(68) 3224-7238
av Ceará, 395, Cadeia Velha
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Roney Mario De Souza
(68) 3223-6924
r Francisco Mangabeira, 315, Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Centro de Lazer Status Ltda
(68) 3227-7070
r Isaura Parente, 2820, Estação Experimental
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Estudo de dança e Academia Arabesque
(68) 9202-7653
r Quintino Bocaiuva,1736, Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Tratamento contra Obesidade

Fornecido por: 

O debate sobre o que mais contribui para a epidemia de obesidade pode ter chegado ao fim. Uma pesquisa apresentada recentemente no Congresso Europeu de Obesidade afirma que a ingestão excessiva de alimentos é realmente mais prejudicial para a saúde humana do que o sedentarismo.   O trabalho, desenvolvido por um grupo internacional desde a década de 70, inovou ao examinar a questão das contribuições proporcionais à epidemia de obesidade nos Estados Unidos combinando relações metabólicas e dados epidemiológicos e agrícolas, entre outros.   - Há muitas sugestões de que tanto a redução da atividade física como o aumento na ingestão de calorias têm sido os principais vetores da obesidade. Mas, até agora, ninguém havia proposto como quantificar as contribuições relativas desses dois pontos - disse Boyd Swinburn, diretor do Centro de Prevenção da Obesidade da Universidade Deakin, na Austrália, órgão que atua junto à Organização Mundial de Saúde. - O novo estudo demonstra que o ganho de peso na população norte-americana parece ser explicado totalmente pela ingestão de mais calorias. Aparentemente, as mudanças nas frequências de atividades físicas têm um papel mínimo.   Cálculo   Os pesquisadores examinaram inicialmente 1.399 adultos e 963 crianças para determinar quantas calorias seus corpos queimam no total, em circunstâncias normais. Após obterem as taxas de queima de calorias de cada um dos voluntários, Swinburn e colegas calcularam quanto os adultos precisam comer de modo a que mantenham um peso estável e quanto as crianças necessitam para que estejam em uma curva de crescimento normal.   Em seguida, foi feita a análise de quanto os norte-americanos comem, por meio de dados nacionais da disponibilidade de comida - a quantidade de alimento produzida e importada menos o total exportado, desperdiçado e usado em animais ou em outras situações - desde os anos 70.   A ideia era estimar qual seria o peso aproximado 30 anos depois levando em conta apenas a ingestão de alimentos. Para isso, também usaram dados de outro estudo nacional sobre o peso médio dos habitantes dos EUA.   - Se o aumento de peso real se mostrasse o mesmo que a estimativa havia apontado, isso implicaria que a ingestão de alimentos era a responsável. Se isso não ocorresse, significaria que mudanças na atividade física também tiveram papel importante - disse Swinburn.   Os resultados mostraram que, e...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535