.
 

Transição de estações requer cuidados oculares redobrados Várzea Grande, Mato Grosso

Conheça os cuidados oculares necessários durante as mudanças de estação. Confira as recomendações do oftalmologista Leôncio Queiroz. "Enquanto no verão o olho seco responde por 10% dos casos de irritação ocular, no inverno este índice sobe para 20%", ele justifica.

Eliane Solange de Souza Pires
(65) 3617-1688
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Medicina de Família e Comunidade

Dados Divulgados por
Cardioclin
(65) 3027-3040
r Joaquim Murtinho, 551
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Center Med
(65) 3023-6666
r Gago Coutinho, 359
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Castro, Maria C D
(65) 3321-5658
r Br Melgaço, 2403
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Cecan
(65) 3623-7032
Pc Do Seminário, 141
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Naíra Domingos Sé
(65) 3322-2504
Rua Rua dos Líriosº 525
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Clínica Genus Ltda
(65) 3642-4742
av Aclimação, 508, Bsq da Saúde
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Antônio M Silva
(65) 3321-4451
r Joaquim Murtinho, 940 Centro Sul
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Audimet Auditoria em Saúde e Medicina do Trabalho
(65) 3321-8725
r Des José Mesquita, 303 Araés
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Center Clin
(65) 3321-5658
r Br de Melgaço, 2403
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Transição de estações requer cuidados oculares redobrados

Fornecido por: 



12/05/2009

OLHOS: mudança de estação pede cuidados extras

Mulheres, micreiros, quem trabalha em ambientes fechados são os mais afetados

No outono e inverno, a menor umidade relativa, aumento da concentração de poluentes e de vírus no ar pedem cuidados extras com os olhos. Segundo o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, enquanto no verão o olho seco responde por 10% dos casos de irritação ocular, no inverno este índice sobe para 20%. Para quem já tem deficiência de lágrima ou usa lente de contato, o ressecamento lacrimal e a maior contração da musculatura ciliar elevam o desconforto no uso de computador, podendo reduzir em até 40% a produtividade.

DICAS PARA MELHORAR A LUBRIFICAÇÃO OCULAR

Para manter a quantidade de lágrima as recomendações de Queiroz Neto são:

  • Tomar bastante água
  • Evitar ambientes com ar condicionado, sempre que possível.
  • Criar o hábito de piscar repetidamente em frente ao computador
  • Colocar o monitor abaixo do nível dos olhos
  • Manter uma vasilha próxima com água para umedecer o ambiente.

Além disso, ele diz que devem ser feitas alterações alimentares que estimulam a produção lacrimal, com destaque para:

  • Redução da ingestão de carboidratos, gordura e carne vermelha
  • Aumento do consumo de alimentos ricos em vitaminas A e E – todas as frutas e legumes de cor amarela e laranja, brócolis e semente de girassol.
  • Suplementação com omega 3 encontrados nas sementes linhaça, sardinha, salmão, salmão e bacalhau.

EXERCÍCIO RELAXA MUSCULATURA DOS OLHOS

O médico destaca que a deficiência de vitamina A também compromete a acomodação que ainda é afetada pela maior contração da musculatura ciliar, como acontece com todos os músculos de nosso corpo, durante o outono e inverno. Para relaxar os músculos ciliares, recomenda um exercício simples – Esticar os braços na altura dos ombros, colocar os polegares em posição vertical e mudar o foco rapidamente de um polegar para outro durante 5 minutos.

USO INDISCRIMINADO DE MEDICAÇÕES AFETA VISÃO

A menor quantidade de lágrima, ressalta, diminui a defesa dos olhos que ficam mais suscetíveis a contaminações de suas porções externas – córnea e conjuntiva – principalmente porque o clima frio também cria o ambiente ideal para a multiplicação de vírus. Resultado – entre 3% e 15% das pessoas são acometidas pela conjuntivite viral. A doença é altamente contagiosa e um fator importante de afastamento do tra...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535