.
 

Transição de estações requer cuidados oculares redobrados Alagoinhas, Bahia

Conheça os cuidados oculares necessários durante as mudanças de estação. Confira as recomendações do oftalmologista Leôncio Queiroz. "Enquanto no verão o olho seco responde por 10% dos casos de irritação ocular, no inverno este índice sobe para 20%", ele justifica.

Grayson Amorim Tenorio
(75) 3421-1474
Rua Marechal Deodoro
Alagoinhas, Bahia
Especialidade
Foniatria

Dados Divulgados por
O Bioquimico Diagnostico Laboratorial
(75) 3422-1333
Rua Vinte e Quatro de Maio 258 - Casa
Alagoinhas, Bahia
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Camilo José Carvalho de Souza
(71) 3359-6526
Al Alameda Verona 56 - Apae
Salvador, Bahia
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
João Lycio C Filho
(71) 3358-1338
Av Acm 846 - S/243
Salvador, Bahia
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Maria José Amorim Nascimento
(71) 3353-0307
Av Acm 585 - Complexo Odonto Médico Itaigara Ed.Louis Pasteur S
Salvador, Bahia
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
João Lúcio Ribeiro Cruz
(75) 3422-2010
Praca Ruy Barbosa 143
Alagoinhas, Bahia
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Paulo Barreto Torres
(71) 3521-0309
R José Baraúna 8 - Clínica Ame
Salvador, Bahia
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Adriano Oliveira Vigario
(73) 3211-7650
Itabuna, Bahia
Especialidade
Medicina Nuclear

Dados Divulgados por
Joao Roberto Souza Araujo
(73) 3525-6131
Jequie, Bahia
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Marbele Santos Guimaraes
(75) 3223-5029
Feira de Santana, Bahia
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Transição de estações requer cuidados oculares redobrados

Fornecido por: 



12/05/2009

OLHOS: mudança de estação pede cuidados extras

Mulheres, micreiros, quem trabalha em ambientes fechados são os mais afetados

No outono e inverno, a menor umidade relativa, aumento da concentração de poluentes e de vírus no ar pedem cuidados extras com os olhos. Segundo o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, enquanto no verão o olho seco responde por 10% dos casos de irritação ocular, no inverno este índice sobe para 20%. Para quem já tem deficiência de lágrima ou usa lente de contato, o ressecamento lacrimal e a maior contração da musculatura ciliar elevam o desconforto no uso de computador, podendo reduzir em até 40% a produtividade.

DICAS PARA MELHORAR A LUBRIFICAÇÃO OCULAR

Para manter a quantidade de lágrima as recomendações de Queiroz Neto são:

  • Tomar bastante água
  • Evitar ambientes com ar condicionado, sempre que possível.
  • Criar o hábito de piscar repetidamente em frente ao computador
  • Colocar o monitor abaixo do nível dos olhos
  • Manter uma vasilha próxima com água para umedecer o ambiente.

Além disso, ele diz que devem ser feitas alterações alimentares que estimulam a produção lacrimal, com destaque para:

  • Redução da ingestão de carboidratos, gordura e carne vermelha
  • Aumento do consumo de alimentos ricos em vitaminas A e E – todas as frutas e legumes de cor amarela e laranja, brócolis e semente de girassol.
  • Suplementação com omega 3 encontrados nas sementes linhaça, sardinha, salmão, salmão e bacalhau.

EXERCÍCIO RELAXA MUSCULATURA DOS OLHOS

O médico destaca que a deficiência de vitamina A também compromete a acomodação que ainda é afetada pela maior contração da musculatura ciliar, como acontece com todos os músculos de nosso corpo, durante o outono e inverno. Para relaxar os músculos ciliares, recomenda um exercício simples – Esticar os braços na altura dos ombros, colocar os polegares em posição vertical e mudar o foco rapidamente de um polegar para outro durante 5 minutos.

USO INDISCRIMINADO DE MEDICAÇÕES AFETA VISÃO

A menor quantidade de lágrima, ressalta, diminui a defesa dos olhos que ficam mais suscetíveis a contaminações de suas porções externas – córnea e conjuntiva – principalmente porque o clima frio também cria o ambiente ideal para a multiplicação de vírus. Resultado – entre 3% e 15% das pessoas são acometidas pela conjuntivite viral. A doença é altamente contagiosa e um fator importante de afastamento do tra...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535