.
 

Saiba como cuidar dos pés diabéticos Águas Lindas de Goiás, Goiás

Os pés diabéticos estão relacionados aos distúrbios vasculares causados pela diabetes. Saiba como prevenir o desenvolvimento dessa doença que pode causar a amputação do pé necrosado. Conheça os primeiros sintomas desse problema.

Wagna Cristini Rocha
(62) 3281-5413
R 48 - 634 Clin Med Carilli
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Cilene Angelica Di Silva Ferro
(62) 3524-8743
Av. Contorno Nº 2151 2151 - Área do Terminal Rodoviário Norte
Goiania, Goiás
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Marco Aurelio Borges Barbosa
(62) 3311-9900
Av. Visconde de Taunay 134
Anapolis, Goiás
Especialidade
Medicina de Urgência

Dados Divulgados por
Claudiane Martins de Oliveira
(62) 3213-1616
R 9 - a 447 Lapaci
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Sergio Andrade de Carvalho
(62) 3223-7311
R 9 130 - Priori Diagnosticos
Goiania, Goiás
Especialidade
Medicina Nuclear

Dados Divulgados por
Maria Auxiliadora de P. Cysneiro
(62) 3521-9191
R 3 - C 63
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Susana Bernardes da Silva
(62) 3572-9071
Rua 68 70
Goiania, Goiás
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Joao Damasceno Porto
(62) 3225-7988
R 286 - Clin Interativa
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Julieta Dias Coelho
(62) 3265-0444
Av 5a Avenida 80 - Cebrom
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Alvaro Vitor Teixeira
(62) 3281-8336
Av 9 - 304 Clin San Vitor
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Saiba como cuidar dos pés diabéticos

Fornecido por: 



03/09/2009

Pés diabéticos: cuidados que previnem

Livre seus pés das complicações causadas por esta doença

Uma das conseqüências mais comuns do diabetes melito é o chamado pé diabético. Esse problema é caracterizado por pequenas feridas localizadas na sola do pé e sua origem está relacionada aos distúrbios vasculares causados pela doença. Muito freqüentes, essas feridas, se não forem corretamente tratadas, podem evoluir para estágios severos, implicando até mesmo na amputação do pé necrosado.

A alteração vascular é resultado da chamada polineuropatia periférica, que consiste num déficit da inervação daquela região, prejudicando a vascularização do pé. Vale destacar que aproximadamente 3% da população mundial sofrem de diabetes e somente nos Estados Unidos estima-se que mais de cinco milhões de pessoas possuem a polineuropatia periférica.

Primeiros sintomas

As pessoas que possuem essa alteração inicialmente sentem uma diminuição da sensibilidade da superfície da sola do pé, problema denominado parestesia. Isso impede que o indivíduo perceba a formação de pequenas feridas, mais comuns na região plantar devido à intensa pressão causada pelo corpo, além do uso excessivo de sapatos fechados.

As úlceras aparecem, primeiramente, como um rubor que depois se transforma em uma pequena ferida, do tamanho da cabeça de um alfinete. Com o tempo, ela cresce, aumentando tanto em volume quanto em profundidade. Estas úlceras usualmente inflamam e provocam diversas complicações sistêmicas. Quando percebidas precocemente podem ser tratadas e dificilmente trazem seqüelas.

Cuidados que previnem

Hoje, existe uma série de calçados e palmilhas especiais para as pessoas que possuem diabetes. Eles ajudam a prevenir a formação das úlceras iniciais. Uma dica importante para quem tem diabetes é estar sempre com as unhas cortadas bem rente e utilizar, além das palmilhas específicas, sapatos bastante confortáveis e arejados. Procure também olhar freqüentemente a planta do pé e diante de qualquer alteração, busque rapidamente orientação médica. Recomenda-se ainda evitar lugares muito frios e úmidos.


Autor: Imprensa
Fonte: MedCenter MedScape


Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535