.
 

Reduzindo infecções em crianças São José de Mipibu RN

Conheça os efeitos dos probióticos na defesa de infecções. O autor descreve como os probióticos ajudam a reforçar a saúde infantil. Conheça os resultados de um estudo sobre a eficácia dessa suplementação alimentar.

Maria do Socorro S.G. da Silva
(84) 3222-3508
Rua Potengi 467
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Marlize de a Romano
(84) 3133-3400
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Maria Elaine F. de Farias
(84) 3211-9333
Av. Campos Sales 782
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Nubia Eleonora D de Medeiros
(84) 3212-1222
Av. Campos Sales 847
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Centro Clínico Santa Rita Ltda
(84) 3219-3329
av Praia Ponta Negra, 8892
Natal, Rio Grande do Norte

Dados Divulgados por
Natal Hospital Center
(84) 4009-1000
Afonso Pena 754
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Medicina Nuclear

Dados Divulgados por
Zelia Maria Silva de Assis
(84) 3211-8448
Citopatologia Ginecologia e Obstetrícia
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Maria do Socorro Santos G Silva
Rua Potengi 467
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Centro Clínico Ponta Negra
(84) 3219-5651
av Praia Ponta Negra, 8892
Natal, Rio Grande do Norte

Dados Divulgados por
CCI-Cinésio Clínica Integrada
(84) 3206-3086
av Rui Barbosa, 14
Natal, Rio Grande do Norte

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Reduzindo infecções em crianças

Fornecido por: 



23/03/2009

Probióticos reduzem infecções em crianças

Doenças infecciosas são freqüentes em crianças pequenas que frequentam escolas

Estudo realizado por Lim e colaboradores (2009), na Tailândia, analisou a eficácia da suplementação alimentar com produtos probióticos na redução da infecção em crianças com menos de cinco anos de idade. Segundo os autores, as doenças infecciosas são as mais freqüentes em crianças pequenas, particularmente as que frequentam escolas. Pois, o contato com outras crianças e ambientes com baixa qualidade de higiene podem predispor a tais infecções, como as causadas por rotavírus, o vírus da influenza, Salmonela, Escherichia coli, entre outras.

Segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS (2002), os produtos probióticos são compostos formados por organismos bacterianos vivos que, se ingeridos em dosagens adequadas, conferem benéficos fisiológicos definidos e adequados. A propriedade desses produtos é garantir um equilíbrio bacteriano no intestino.

Para a realização do estudo, os pesquisadores analisaram três tipos de probióticos, com três tipos de lactobacilos: Lactobacilo casei rhamnosus, Lactobacilo rhamnosus T cell-1 e múltiplos lactobacilos.

Participaram do estudo 986 crianças, divididas nos seguintes grupos: controle, não foi administrado nenhum tipo de probiótico; que tomou Lactobacilo casei rhamnosus; que ingeriu Lactobacilo rhamnosus T cell-1; e que tomou múltiplos lactobacilos. As crianças foram avaliadas ao longo de sete meses.

Os resultados revelaram que a incidência de doenças pediátricas, de vários tipos, aumentou após a entrada na escola para todos os grupos, apoiando a convicção de que o ingresso na escola pode aumentar o risco a infecções. Porém, após o ingresso na escola, as crianças que ingeriram Lactobacilo casei rhamnosus apresentaram uma menor incidência de infecções respiratórias, virais e bacterianas. O produto com múltiplos lactobacilos reduziu as infecções intestinais significativamente. Por sua vez, o consumo em longo prazo de Lactobacilo rhamnosus T cell-1 diminuiu a incidência de infecções bacterianas.

Os autores comentaram que “um resultado interessante foi que a suplementação com probiótico tendeu a diminuir o número de visitas ao médico, especialmente por reduzir o número de crianças que necessitou de consultas médicas; concomitantemente, aumentando o número de crianças que não realizaram nenhuma visita ao médico durante o período de interven&c...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535