.
 

Psiquiatria Arapiraca, Alagoas

Encontre psiquiatria em Arapiraca. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Centro de Treinamento e Atendimento Psicológico Ltda
(82) 3376-9119
r Manaus, 335, Prado
Maceió, Alagoas

Dados Divulgados por
Gabinete de Psicologia Aplicada
(82) 3337-5003
av Dr Antônio Gouveia, 61 sl 4
Maceió, Alagoas

Dados Divulgados por
Cleide de Sousa Barros Graça Costa Melo
(82) 9969-5494
r Dr José Afonso Melo, 68 Sl. 605, Jatiúca
Maceió, Alagoas

Dados Divulgados por
Consultório de Psicologia Metamorfose
(82) 3241-2730
r Guido Duarte, 46 Sala 10
Maceió, Alagoas

Dados Divulgados por
Clínica Interdisciplinar Eunice Toledo
(82) 3325-9698
av Pretestato Ferreira Machado, 1490, Jatiúca
Maceió, Alagoas

Dados Divulgados por
PSICOLOGIA - Infantil, Adolescente e Adulto / PSICOPEDAGOGA
(82) 3241-3920
Harmony - Centro de Relações Médicas, Jatiúca, sala 605.
Maceió, Alagoas
 
Carlos Alberto Vieira Fonseca
(82) 3337-2900
r Eng Mário Gusmão, 18 sl 5, Ponta Verde
Maceió, Alagoas

Dados Divulgados por
Mazoni, Osana G
(82) 3336-9010
av Paz, 1154 s 104, Jaraguá
Maceió, Alagoas

Dados Divulgados por
Centro de Crescimento Humano
(82) 3241-2541
r Antônio Procópio, 625, Pinheiro
Maceió, Alagoas

Dados Divulgados por
Consultório de Psicologia Dra Liedja Santos Rocha
82 3529 9600 8827 7420
Rua Nossa Senhora de Fátima, 218. Centro
Arapiraca, Alagoas
 
Dados Divulgados por

Psiquiatria

Fornecido por: 

Um novo estudo mostrou que a socialização irregular entre adolescentes de ambos os sexos, relações afetivas violentas e fatores psico-sociais, como solidão, auto-estima e satisfação com a vida são resultados diretos da violência nas escolas. Os resultados mostraram que os jovens associam esse tipo de violência a uma melhora no seu status social e respeito entre seus colegas, por exemplo.

“Há um interesse crescente no estudo do comportamento violento de adolescentes dentro do ambiente escolar. Esse tipo violência pode levar a graves consequências psicológicas e ajustes emocionais desregulados nas pessoas envolvidas nesse tipo de ato”, diz David Ruiz, da Universidade de Pablo de Olavide (UPO), Espannha.

O estudo, publicado recentemente no periódico científico Psicothema, tenta entender como os jovens que procuram por uma “boa reputação”, ou seja, a identidade social que os proporciona fazer parte e serem respeitados por um grupo, fazem uso da violência como ferramenta para atingir esse objetivo.

Estudos anteriores já haviam mostrado que alguns adolescentes que eram populares entre seus pares usavam a “violência interelacional” para manter ou melhorar suas reputações. “Ter uma boa auto-estima é um fator chave, pois isso é importante para inibir os atos violentos – tanto ser vítima quanto algoz – entre os colegas de escola”, afirma Ruiz.

O estudo de Ruiz acompanhou mais de 1.300 adolescentes, e mostrou que os jovens que têm seus status questionados ou são rejeitados socialmente pelos colegas de classe, ou mesmo aqueles que não se propõem a intimidar outros alunos, sofrem de grande sentimentos de solidão, baixa auto-estima e menores níveis de satisfação com suas vidas.

Violência relacional é coisa de menina também

Apesar dos resultados dos estudos desse tipo de violência e a relação entre gênero serem contraditórias, as conclusões dos pesquisadores da UPO mostraram que os adolescentes do sexo masculino usam mais da violência interelacional.

Mas quando esse tipo de comportamento violento é usado como resposta defensiva a uma provocação, tanto homens quanto mulheres mostraram resultados similares. “É possível que estes comportamentos sejam mais verbais nas mulheres e mais físicos nos homens”, observa Cristiano Nabuco de Abreu, psicólogo do Instituto de Psiquiatria (IPq) da Faculdade de Medicina da USP.

A violência interelacional é o tipo de comport...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535