.
 

Oftalmologia Santo Antônio do Tauá PA

Encontre oftalmologia em Santo Antônio do Tauá. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Mario Fernando Ribeiro de Miranda
(91) 241-1048
Av Alm Wandenkolk 1243 - Sala 704
Belem, Pará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Maria de Fatima Mesquita Jorge Joao
Trav.Ove de Janeiro 2110 - Sala 1601Ed. Wall Street
Belem, Pará
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Fernando Antonio Martins
(91) 3236-4186
Av. Duque de Caxias 1540
Belem, Pará
Especialidade
Administração em Saúde

Dados Divulgados por
Priscilla Leite Dias
(91) 3222-6145
R Ferreira Cantao 454 - Sala 01
Belem, Pará
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Clínica Intercol
(91) 3241-6170
r Diogo Moia, 319
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Manoel de Almeida Moreira
(91) 223-0692
Rua Antonio Barreto 380
Belem, Pará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Anatomo Patologistas Associados S/A
R Ferreira Cantao 454 - S/2
Belem, Pará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Diana Ecila Tavares Acatauassu Teixeira
913-2424
Tv Quatorze de Marco 1299
Belem, Pará
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Clínica CEMESTRA
(91) 3223-2450
Rua Riachuelo, 100, entre Frutuoso e Campos Sales
Belém, Pará
Especialidade
Medicina do Trabalho

Light Depil Belém
(91) 3347-6616
Passagem São Raimundo, 117
Belém, Pará
Especialidade
Depilação a luz Pulsada

Dados Divulgados por

Oftalmologia

Fornecido por: 

No Brasil, pessoas com 60 anos ou mais respondem por até 90% do rendimento mensal de mais da metade das famílias, segundo o último levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A catarata, doença que torna o cristalino opaco em decorrência do envelhecimento compromete a produtividade de mais da metade dos trabalhadores com idade entre 53 e 78 anos, mas só 2 em cada 10 brasileiros nesta faixa etária já passaram pela cirurgia que é a única forma de eliminar o problema e evitar a perda total da visão.

O mais alarmante é que 70% apresentam um ou mais fatores de risco para a saúde ocular: histórico familiar, medicação contínua e hipertensão. Apesar do alto índice de vícios de refração, quase metade gostaria de se livrar dos óculos.   Estas são constatações de um estudo inédito feito com 223 pacientes nos últimos 18 meses pelo oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, com o objetivo de apontar orientações que reduzam a cegueira no País. O médico afirma que o maior desafio da saúde ocular na terceira idade é a falta de prevenção primária.   Isso porque, só 36% fazem exame de vista anualmente e os fatores de risco a que estão expostos podem causar complicações oculares que sem assistência médica provocam a perda da visão, alerta.   Histórico Familiar   Queiroz Neto conta que das doenças familiares mais freqüentes mencionadas pelos participantes do estudo o diabetes e o glaucoma foram citados por 16% e 7% respectivamente. Os índices são maiores que a prevalência geral na população que é de 12% e 2% porque a incidência cresce quanto maior a idade, explica. Quem tem diabéticos ou portadores de glaucoma na família, observa, deve fazer exame de vista anualmente a partir dos 40 anos, além do controle de glicemia no caso de diabetes. Isso porque, comenta, a herança genética predispõe a estas doenças e metade dos brasileiros que são acometidos tanto pelo diabetes como pelo glaucoma, desconhece o fato. A estimativa é de que o aumento do açúcar no sangue e a redução da insulina fazem com que entre 30 e 45% dos diabéticos tenham algum grau de retinopatia diabética – crescimento de vasos na retina e hemorragia – que é tratada com laser.  Já o glaucoma não apresenta sintomas e a redução do campo visual só é percebida quando mais de 40...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535