.
 

Mães diabéticas podem gerar crianças com deficit de linguagem Rio Branco, Acre

Pesquisadores constataram que filhos de diabéticas podem desenvolver problemas de linguagem. "Segundo os autores, o diabetes gestacional poderia afetar o desenvolvimento cerebral dos bebês", cita o autor. Confira os detalhes da pesquisa.

Elaine Azevedo Soares
(68) 3224-3491
Av Av Getulio Vargas 1227
Rio Branco, Acre
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Euracy de Souza Bonner
(06) 8224-7844
Rua Major Salinas 62 - Uniclinica 62
Rio Branco, Acre
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Assuéro César de Carvalho Rêgo
(68) 9229-9706
Santa Casa de Misericórdia do Acre Rua Alvorada 198 - Sala 12
Rio Branco, Acre
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
George Umeoka
Rua Pernambuco 349
Rio Branco, Acre
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Elaine Azevedo Soares
(68) 3224-3491
Av Av Getulio Vargas 1227
Rio Branco, Acre
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Jose Ribamar Costa
(68) 3224-4800
R Francisco Mangabeira 72 - Galeria Wilianaem a UNIMED
Rio Branco, Acre
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Maria Silvana Furtado Viana
(68) 224-4745
Rua Quintino Bocaiuva 213
Rio Branco, Acre
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Anacris Clinica Medica Ltda.
(68) 3223-3582
R Henrique Dias 77
Rio Branco, Acre
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Assuéro César de Carvalho Rêgo
(68) 9229-9706
Santa Casa de Misericórdia do Acre Rua Alvorada 198 - Sala 12
Rio Branco, Acre
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Jose Ribamar Costa
(68) 3224-4800
R Francisco Mangabeira 72 - Galeria Wilianaem a UNIMED
Rio Branco, Acre
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Mães diabéticas podem gerar crianças com deficit de linguagem

Fornecido por: 



13/11/2008

Estudo canadense

Diabetes na gravidez pode afetar desenvolvimento da linguagem da criança

Crianças nascidas de mulheres que tiveram diabetes durante a gestação têm duas vezes maior risco de ter problemas no desenvolvimento da linguagem, segundo estudo da Universidade de Laval, no Canadá.

Os pesquisadores compararam, em diferentes ocasiões, o vocabulário e as habilidades gramaticais de 221 crianças cujas mães tiveram diabetes gestacional com as habilidades de mais de 2,6 mil crianças do grupo controle no intervalo entre 18 meses e sete anos de idade.

Os resultados indicaram que aquelas cujas mães tiveram diabetes alcançaram menores pontuações em testes orais de vocabulário e gramática do que os filhos de mulheres saudáveis. Segundo os autores, o diabetes gestacional poderia afetar o desenvolvimento cerebral dos bebês. E esses efeitos persistiriam mesmo depois de as crianças entrarem na escola.

Apesar de os efeitos encontrados do diabetes serem independentes de fatores como o status socioeconômico, o consumo de álcool e tabaco e a hipertensão materna na gravidez, eles não seriam inevitáveis, pois esses efeitos eram menores em crianças de mães de maior escolaridade. “Essa proteção pode ser resultado de um ambiente mais estimulante no qual as crianças de mães mais escolarizadas se desenvolvem, mas poderia também ser por causa de genes que deixariam alguns bebês menos vulneráveis”, explicaram os autores.

Entre 2% e 14% das crianças nascem de mães que sofrem de diabetes gestacional, cujos fatores de risco incluem idade materna e índice de massa corporal. E, segundo os pesquisadores, o estudo indica que o desenvolvimento da linguagem nessas crianças deve ser acompanhado cuidadosamente.


Autor: Bibliomed
Fonte: Boa Saúde


Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535