.
 

Mães diabéticas apresentam risco de depressão Abreu e Lima, Pernambuco

Pesquisadores constataram que mães diabéticas apresentam predisposição para a depressão. "A depressão pode ser difícil de identificar, porque muitos de seus sintomas são compreendidos como experiências normais vivenciadas por mães recentes", cita o autor. Conheça os detalhes da pesquisa.

Maria da Conceicao Fonseca Ferrari
Av. Gov. Carlos de Lima Cavalcanti 1887
Olinda, Pernambuco
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Helio Sena dos Santos
(81) 3221-5538
Estado de Israel 334 - Sl. 308
Recife, Pernambuco
Especialidade
Mastologia

Dados Divulgados por
Artur Eduardo de Oliveira Rangel
(81) 3221-5157
Rua Francisco Alves 325 - Sala 106
Recife, Pernambuco
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Gracivaldo Goncalves dos Santos
813-4270
Av Rui Barbosa 1363 - Sala 209
Recife, Pernambuco
Especialidade
Mastologia

Dados Divulgados por
Maria Selma Matias
(81) 3423-5211
R do Sossego 330
Recife, Pernambuco
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Tania Maria Ferreira Dantas Caldas
(81) 3231-5174
Av Joao de Barros 762
Recife, Pernambuco
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Silvana Maria Figueiredo Cavalcanti
R Jornalista Paulo Bittencourt 174
Recife, Pernambuco
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Maria Auxiliadora Cavalcanti da Silva
(81) 3423-0099
Rua Francisco Alves 590 - S 502 3° Andar
Recife, Pernambuco
Especialidade
Mastologia

Dados Divulgados por
Elza Andrade Cavalcanti
(81) 3077-9819
R Des Luiz Salazar 116 - Sl 104 Edf Pórtico Madalena
Recife, Pernambuco
Especialidade
Mastologia

Dados Divulgados por
Erasto T de L Filho
Rua Riachuelo 325 - 12º Andar Sala 1209
Recife, Pernambuco
Especialidade
Mastologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Mães diabéticas apresentam risco de depressão

Fornecido por: 



02/03/2009

Mães diabéticas apresentam maior risco de depressão

Estudo coordenado pela Harvard Medical School e Harvard Pilgrim Health Care

As mulheres grávidas e mães recentes com diabetes apresentam quase que o dobro de risco de depressão pós-parto que mulheres sem diabetes, aspecto descoberto por um novo estudo que revelou um fator de risco potencial para uma desordem psicológica séria que afeta mais de 1 em 10 mães recentes. 

Pesquisadores, coordenados por Katy Backes Kozhimannil da Harvard Medical School e Harvard Pilgrim Health Care, analisaram registros de saúde de mais de 11.000 mulheres de baixa renda que se matricularam no programa New Jersey's Medicaid. Eles descobriram que 15,2% das mulheres que apresentaram diabetes estavam deprimidas durante a gravidez ou no primeiro ano depois do parto, comparadas com 8,5% das mulheres que não apresentaram diabetes. Essa diferença permaneceu depois de ajustar os dados para fatores como a idade e etnia das mães. 

"As boas notícias desse estudo são que a diabetes e depressão são doenças tratáveis", disse Kozhimannil em uma entrevista. “A depressão pós-parto é, em particular, subdiagnosticada e subdetectada há muito tempo". 

A diabetes e depressão já foram unidas antes, mas esse é o primeiro estudo que examina essas patologias em mães recentes. Como uma desordem poderia causar a outra não foi identificada. Os cientistas teorizaram a respeito das possibilidades biológicas, como o açúcar no sangue anormal e os níveis de insulina que poderiam afetar os hormônios do estresse. Fatores psicossociais, como a tensão de administrar uma doença crônica do tipo da diabetes, também poderiam piorar os sintomas da depressão. 

As mulheres são habitualmente examinadas para diabetes entre a 24ª e 28ª semana de gravidez, mas a verificação da depressão não é uma parte padrão dos cuidados, segundo Kozhimannil. 

A depressão pode ser difícil de identificar, porque muitos de seus sintomas são compreendidos como experiências normais vivenciadas por mães recentes, comentou Kozhimannil. Até 80% das mulheres atravessam por uma "tristeza pós-parto", uma desordem de humor mais moderada devido ao ajuste à flutuação dos hormônios e às mudanças de vida. 

Porém, a depressão pós-parto é mais severa e mais persistente, marcada por intensa preocupação ou pavor a respeito da saúde do bebê. 

O estudo foi publicado na revista American Medical Association.


Autor: Elizabeth Coone...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535