.
 

Jardins terapêuticos ajudam na recuperação de pacientes Corumbá, Mato Grosso do Sul

Entenda como os jardins terapêuticos influenciam na recuperação de pacientes. O autor destaca a interferência positiva da experiência visual. Confira o projeto de paisagismo especializado no ambiente hospitalar.

Ronaldo Silva Pereira
(67) 3231-4351
R. Sete de Setembro 337
Corumba, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Jaime Yoshinori Oshiro
(67) 3325-6007
Rua Abrao Julio Rahe 857
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Luiz Mario Urt Delvizio
(67) 3231-2898
Rua Dom Aquino Correa 757
Corumba, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Tercio Ferreira Zampiere de Oliveira
(67) 3384-6615
Rua Antonio Maria Coelho 1977
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Fernando Bernardo
(67) 3383-3552
Av.Fernando Correa da Costa 1233
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Luiz Mario Urt Delvizio
(67) 3231-2898
Rua Dom Aquino Correa 757
Corumba, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Evandro Veiller Ferrari
(67) 3382-7095
Rua Xv Deovembro 1311
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Eliana Yonamine
(67) 3321-2258
Rua 24 - de Outubro 50
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Josino da Cunha Viana Neto
(67) 3521-6162
Rua Paranaiba 1192
Tres Lagoas, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Paulo Cesar Yui
(67) 3421-3715
R Ciro Melo 2610
Dourados, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Jardins terapêuticos ajudam na recuperação de pacientes

Fornecido por: 



05/01/2010

Os Jardins Terapêuticos

Cresce no mundo a tendência de criar espaços idealizados especialmente para ajudar na recuperação de doenças

chamada.jpg No Burn Center, há local para descanso.

Os jardins sempre foram um espaço de bálsamo para a alma. É impossível não se acalmar diante do visual das plantas, do aroma das flores. Agora, essas características começam a ser usadas em favor de pessoas doentes ou das que apenas estão em busca de um momento tranquilo. Nos Estados Unidos e na Europa, cresce a tendência de criação dos chamados jardins terapêuticos. Eles são construídos ao ar livre ou em átrios e solários dos hospitais e em locais públicos, para serem frequentados pela população em geral. Não se trata, porém, de um jardim comum. Há características especiais que devem ser respeitadas para que ele de fato seja terapêutico. O primeiro cuidado é com a segurança.

img.jpg No Children’s Hospital, em San Diego, o jardim reduziu internações.

Os pisos são antiderrapantes e as ruas, largas, com espaço para caminhar. Também são previstos pontos para descanso ou meditação. Se eles estiverem perto de uma fonte ou outro lugar de água corrente, melhor ainda. Outro diferencial é a escolha dos elementos que o compõem: há uma mistura de plantas medicinais, aromáticas e ornamentais. As medicinais são usadas simbolicamente e as demais porque também liberam aromas agradáveis, além de atraírem pássaros e borboletas. A ideia é desenhar um ambiente capaz de despertar os sentidos. Por isso, a cheirosa lavanda, as medicinais equinácea e erva-cidreira, e os cactos ornamentais estão entre as plantas mais usadas. Combinados com o canto dos pássaros e o barulho da água corrente, despertam a visão, a audição e o olfato, provocando o que os especialistas chamam de distração positiva. A ideia de criação dessas áreas surgiu da observação de que a saúde física e mental é influenciada por aspectos do ambiente físico, como sua luz natural, espaço ou som. “Quando olhamos para uma cena agradável, nossos sentidos são envolvidos positivamente”, disse à ISTOÉ Naomi Sachs, da empresa americana Landscapes Therapeutic, uma das companhias especializadas no desenvolvimento dessas áreas.

img1.jpg O Garden for all Seasons atenua depressão em idosos.

“Isso provoca a liberação de endorfinas, substâncias que promovem bem-estar.” Alguns trabalhos atestam o resultado da iniciativa. Um deles, feito no San Diego Children&rsquo...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535