.
 

Investigue as causas do bócio Trindade GO

Conheça as causas do bócio. O autor comenta sobre o diagnóstico da doença. "A deficiência na ingestão de iodo na alimentação pode promover a um aumento do volume da glândula tireóide", ele destaca.

junior costa silva
(62) 9218-6826
rua 5 centro
Goiania, Goiás
Especialidade
Medicina Preventiva e Social

Dados Divulgados por
Rosa Christina a Figueiredo
(62) 3541-6022
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Alina Erkai Torres Pimenta
(62) 3259-1004
R C 0264 - Qd 616 Lt 02
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Lourenca de Oliveira F N Obeid
(62) 3229-0550
Av Doutor Ismerino Soares de Carvalho 1 - Hospital Cemep
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Maria Auxiliadora de P. Cysneiro
(62) 3521-9191
R 3 - C 63
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Claudio Gonzaga Amorim
(62) 3212-5858
Av Oeste 3
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Wanderley Ribeiro Borges de Figueiredo
(62) 3224-0078
Av Oeste 3 - Vitalabor
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Wilza de Castro Rabelo Suanno
(62) 3241-8040
Av 136 960 - Esp Med Espaco Vital
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Joao Alves de Araujo Filho
(62) 3235-7200
R 1035 - Multimed
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Eusa Maria de Paula Carneiro
(62) 3521-2400
Av Araguaia 78 - Lab Saluti
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Investigue as causas do bócio

Fornecido por: 



22/06/2009

Temas de saúde: o que é bócio?

Popularmente conhecido como papo, pode ocorrer na deficiência de Iodo na alimentação

A deficiência na ingestão de iodo na alimentação pode promover a um aumento do volume da glândula tireóide, ou a presença de nódulos na mesma, sendo que tal fato recebe a denominação de bócio. Em casos de maior expressão, pode haver dificuldade de alimentar-se, para respirar e realizar demais atividades da vida diária.
  É mais comum em mulheres (proporção de sete casos em mulheres para cada caso em homens), sendo que a probabilidade aumenta no sexo feminino se já houve caso de gestação, bem como ao avançar da idade. Estima-se que de 4 a 7% das pessoas no mundo apresentem alguma forma dessa doença.
  Contudo, nem sempre tal manifestação torna-se visível a ponto de provocar uma inflamação do pescoço, como ocorre no caso do “papo”, muito conhecido popularmente.
  A origem do bócio pode ser devido à carência de Iodo na alimentação, sendo que dessa forma recebe o nome de bócio endêmico. Outras formas possíveis são o bócio esporádico, quando também ocorre hiperfunção da glândula, porém a pessoa não apresenta deficiência de iodo na alimentação.
  Além disso, existe o chamado “bócio atóxico” ou simples, que não é decorrente da hiper atividade da glândula tireóide. Os profissionais, quando do diagnóstico dessa doença, prezam por avaliar se: a lesão é maligna ou não; o funcionamento da glândula tireóide; avaliar se a presença do nódulo provoca alguma obstrução respiratória, do sistema digestivo ou vascular.
  O tratamento para essa doença se dá de diversas formas, e a recomendação mais adequada irá depender da avaliação clínica, história de vida e casos de doenças na família e exames laboratoriais. Em muitos casos, a terapia de reposição hormonal visa restabelecer os níveis do hormônio TSH no organismo. Do mesmo modo, há relatos de tratamentos cirúrgicos e radioterápicos, recomendados em casos específicos.   Confira assuntos relacionados:   Alimentação
Desvende os rótulos dos alimentos
  Os tipos de locais de alimentação aumentam a obesidade, diz estudo
O número de supermercados, mercados pequenos e fast food faz diferença
  Cuidados com a alimentação...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535