.
 

Investigue as causas do bócio Caririaçu CE

Conheça as causas do bócio. O autor comenta sobre o diagnóstico da doença. "A deficiência na ingestão de iodo na alimentação pode promover a um aumento do volume da glândula tireóide", ele destaca.

Adriana Alencar Araujo
3288-4494
R Papi Junior 1222
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Katia N S Barros de Oliveira
3486-6161
Av Dom Luis 1233
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Erlane Marques Ribeiro
(85) 3244-7899
R. Des. Leite Albuquerque 158 - Aldeota
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Genética Médica

Dados Divulgados por
Maria Leides P Albuquerque
3279-5028
R Alice 425
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Maria Albertina T de C Linhares
3254-3721
Av Tristao Goncalves 733
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Glauceneide de Barros Figueiredo
3226-1896
R Barao do Rio Branco 1736
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Jose Alberto Rocha
3368-8999
Av Edson da Mota Correia 714
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Deborah Nunes de Melo Braga
3088-2440
R Nunes Valente 2105
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Dary Alves Oliveira
3272-8054
Av Rui Barbosa 3275
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Maria do Socorro Silveira Magalhaes
Rua Pe Luis Figueira 550
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Investigue as causas do bócio

Fornecido por: 



22/06/2009

Temas de saúde: o que é bócio?

Popularmente conhecido como papo, pode ocorrer na deficiência de Iodo na alimentação

A deficiência na ingestão de iodo na alimentação pode promover a um aumento do volume da glândula tireóide, ou a presença de nódulos na mesma, sendo que tal fato recebe a denominação de bócio. Em casos de maior expressão, pode haver dificuldade de alimentar-se, para respirar e realizar demais atividades da vida diária.
  É mais comum em mulheres (proporção de sete casos em mulheres para cada caso em homens), sendo que a probabilidade aumenta no sexo feminino se já houve caso de gestação, bem como ao avançar da idade. Estima-se que de 4 a 7% das pessoas no mundo apresentem alguma forma dessa doença.
  Contudo, nem sempre tal manifestação torna-se visível a ponto de provocar uma inflamação do pescoço, como ocorre no caso do “papo”, muito conhecido popularmente.
  A origem do bócio pode ser devido à carência de Iodo na alimentação, sendo que dessa forma recebe o nome de bócio endêmico. Outras formas possíveis são o bócio esporádico, quando também ocorre hiperfunção da glândula, porém a pessoa não apresenta deficiência de iodo na alimentação.
  Além disso, existe o chamado “bócio atóxico” ou simples, que não é decorrente da hiper atividade da glândula tireóide. Os profissionais, quando do diagnóstico dessa doença, prezam por avaliar se: a lesão é maligna ou não; o funcionamento da glândula tireóide; avaliar se a presença do nódulo provoca alguma obstrução respiratória, do sistema digestivo ou vascular.
  O tratamento para essa doença se dá de diversas formas, e a recomendação mais adequada irá depender da avaliação clínica, história de vida e casos de doenças na família e exames laboratoriais. Em muitos casos, a terapia de reposição hormonal visa restabelecer os níveis do hormônio TSH no organismo. Do mesmo modo, há relatos de tratamentos cirúrgicos e radioterápicos, recomendados em casos específicos.   Confira assuntos relacionados:   Alimentação
Desvende os rótulos dos alimentos
  Os tipos de locais de alimentação aumentam a obesidade, diz estudo
O número de supermercados, mercados pequenos e fast food faz diferença
  Cuidados com a alimentação...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535