.
 

Investigando a ação da medicação psicotrópica Itapissuma PE

Conheça o estudo sobre os efeitos da medicação psicotrópica. O autor destaca a relação dela com os eventos cardiovasculares. "A interrelação entre distúrbios emocionais e doenças cardiovasculares é complexa e bidirecional: por um lado, depressão é um fator de risco independente para doença cardiovascular; por outro lado, as cardiopatias podem causar ou deflagrar a instalação de sintomas depressivos", ele cita.

Clipsmed Clínica Psicológica e Médica
(81) 3372-5417
pça Papa João XXIII, 614 an 1, Centro
Paulista, Pernambuco

Dados Divulgados por
Consultório Dra Lúcia Teixeira
(81) 3053-0622
av Dr José Augusto Moreira, 1049, Casa Caiada
Olinda, Pernambuco

Dados Divulgados por
Namaste
(81) 3432-2376
r Olavo Bilac 224 lj 1, Jd Atlântico
Olinda, Pernambuco

Dados Divulgados por
Mirtes Mendes Martins
(81) 3494-3933
r Bernardino de Melo 351, Águas Compridas
Olinda, Pernambuco

Dados Divulgados por
Psicolinda Psicologia Aplicada de Olinda Ltda
(81) 3429-6906
av Getúlio Vargas,Pres, 137, Bairro Novo
Olinda, Pernambuco

Dados Divulgados por
Unidade Especializada de Serv Psicológicos
(81) 3437-0497
pça João XXIII, 632, Centro
Paulista, Pernambuco

Dados Divulgados por
APSM Consultoria
(81) 3431-6154
av Fagundes Varela, 914 an 1 sl 10
Olinda, Pernambuco

Dados Divulgados por
CPP-Clínica Profissional Psicodiagnóstico
(81) 3429-0268
av Getúlio Vargas, 124, Bairro Novo
Olinda, Pernambuco

Dados Divulgados por
Humanizar Serviços em Gestão de Pessoas
(81) 3439-2609
av Presidente Getúlio Vargas 648, Bairro Novo
Olinda, Pernambuco

Dados Divulgados por
Cpi Centro de Psicologia Integrada Ltda
(81) 3231-6108
r Gervásio Pires, 752, Soledade
Recife, Pernambuco

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Investigando a ação da medicação psicotrópica

Fornecido por: 



21/01/2010

Medicação psicotrópica e eventos cardiovasculares

Existe uma conexão? Resultados do estudo WISE

Introdução

Há muito se fala que depressão aumenta o risco de doença cardiovascular. Embora com evidências menos sólidas, ansiedade também é apontada como fator de risco cardiovascular.

A interrelação entre distúrbios emocionais e doenças cardiovasculares é complexa e bidirecional: por um lado, depressão é um fator de risco independente para doença cardiovascular; por outro lado, as cardiopatias podem causar ou deflagrar a instalação de sintomas depressivos.

Discute-se também o quanto este risco cardiovascular aumentado é atribuído ao distúrbio emocional per se e o quanto é devido a outros fatores associados ou secundários à condição psíquica, como, por exemplo, aumento de frequência cardíaca e pressão arterial, estilo de vida não-saudável, má aderência ao tratamento e mesmo o uso de medicamentos psicotrópicos.

Neste sentido, uma subanálise do estudo Women's Ischemia Syndrome Evaluation (WISE),1 recentemente publicada na revista Heart, traz uma oportunidade para uma breve revisão e reflexão a respeito da influência de medicamentos usados em depressão e ansiedade sobre as doenças cardiovasculares.

O estudo

O estudo WISE incluiu mulheres com sintomas de isquemia miocárdica que se submeteram a cateterismo cardíaco. Não foram incluídas, entre outras, mulheres com cardiomiopatia, doença valvar ou congênita significativa, insuficiência cardíaca classe funcional IV (NYHA) ou infarto do miocárdio recente. A idade média das participantes foi em torno de 57 anos.

Este subestudo comparou a evolução clínica de 4 grupos definidos de acordo com o relato de uso de “antidepressivos” e “ansiolíticos, sedativos ou hipnóticos” nas 6 semanas que antecederam o estudo. Assim, os 4 grupos foram:

∗ sem medicação (n=352);
∗ apenas ansiolíticos (n=67);
∗ apenas antidepressivos (n=58);
∗ uso combinado de antidepressivos + ansiolíticos (n=39).

Durante um tempo mediano de observação prospectiva de 5,9 anos, ocorreram 81 (15,6%) novos eventos cardiovasculares e 46 (8,8%) mortes por qualquer causa.

Em uma análise não ajustada, o uso de antidepressivo associou-se a eventos cardiovasculares subsequentes (HR 2,16, IC 95% 1,21 a 3,93) e morte (HR 2,15, IC 95% 1,16 a 3,98). Já o uso de ansiolítico isoladamente não se relacionou com pior evolução.

Em uma análise multivariada (regressão ...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535