.
 

Glaucoma: prevenção e tratamento Jataí GO

"A doença é principal causa de cegueira irreversível", alerta o autor. Ele destaca os meios de prevenção dessa doença. Saiba também como é feito o diagnóstico da doença.

Riolab Laboratório
Rua Afonso Ferreira 48
Rio Verde, Goiás
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Euler de Bastos Morais
R 9a (062) 2125207
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Joao Alves de Araujo Filho
(62) 3235-7200
R 1035 - Multimed
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Alina Erkai Torres Pimenta
(62) 3259-1004
R C 0264 - Qd 616 Lt 02
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Rosa Christina a Figueiredo
(62) 3541-6022
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
junior costa silva
(62) 9218-6826
rua 5 centro
Goiania, Goiás
Especialidade
Medicina Preventiva e Social

Dados Divulgados por
Joao Damasceno Porto
(62) 3225-7988
R 286 - Clin Interativa
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Maria Auxiliadora de P. Cysneiro
(62) 3521-9191
R 3 - C 63
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Flavia de Castro Santana
(62) 3236-9300
Rua T-58 Esquina com T-38 315 - Sala 110
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Nestor Carvalho Furtado
(62) 3251-9060
Al Rosasdas 1223
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Glaucoma: prevenção e tratamento

Fornecido por: 



21/05/2009

Glaucoma: prevenção e tratamento

A doença é principal causa de cegueira irreversível

Dia 26 de maio é a data de alerta de uma doença silenciosa e que é a principal causa tratável de cegueira, o glaucoma. O problema atinge cerca de 65 milhões de pessoas em todo o mundo, aproximadamente 900 mil no Brasil e estima-se que exista o mesmo número de portadores não diagnosticados. “Quando a pessoa percebe alteração visual, muitas vezes a doença já pode ser irreversível, ocorrendo perda da visão periférica e estreitando o campo da visão”, explica a oftalmologista do Hospital Nossa Senhora das Graças, Dra. Eliane de Araújo Lima.

O glaucoma ocasiona pressão intra-ocular e alterações circulatórias que atingem o nervo óptico. “A elevada pressão intra-ocular pode danificar o nervo óptico (o que transmite impulsos nervosos do olho para o cérebro). Se o nervo óptico é danificado, a ponto de conseguirmos medir essa perda de visão, essa condição é chamada glaucoma”, esclarece o oftalmologista Marco Canto, diretor da Clínica Canto.

Há vários tipos de glaucoma, o mais comum é o crônico, que se desenvolve sem sintomas e ocorre em quem tem história familiar da doença. Algumas vezes podem ocorrer sintomas como dor, fotofobia (sensibilidade à luz), diminuição visual rápida, pupilas que não reagem à luz, halos coloridos ao redor da luz, olho vermelho, lacrimejamento, dor de cabeça, náuseas e vômitos. “Entretanto, esses sintomas podem ser indicativos de outras doenças, por isso é importante fazer a averiguação”, afirma Dr. Marco Canto.

A principal forma de detecção da doença é o exame que verifica a pressão ocular, que não pode ultrapassar os 21 mmHg (milímetros de mercúrio) e é realizado pelo oftalmologista. “É fundamental a consulta periódica ao especialista, que irá verificar os fatores de risco como a pressão intra-ocular, história familiar, uso de medicamentos, alterações oculares, entre outros fatores. O diagnóstico precoce é essencial para evitar perda de visão”, salienta Dra. Eliane.

Os especialistas explicam que qualquer perda da visão pelo glaucoma é permanente, por isso a importância da prevenção. O glaucoma pode ser controlado com uso de medicamentos prescritos pelo especialista e, em alguns casos, são realizados tratamentos com laser. Entretanto, mesmo com o tratamento, a doença não pode deixar de ser monitorada. “Os exames dev...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535