.
 

Glaucoma: prevenção e tratamento Abreu e Lima, Pernambuco

"A doença é principal causa de cegueira irreversível", alerta o autor. Ele destaca os meios de prevenção dessa doença. Saiba também como é feito o diagnóstico da doença.

Cerpe Inst. Endocrinologia Medicina Nuclear Recife
Gov Carlos de Lima Cavalcante 2249
Olinda, Pernambuco
Especialidade
Medicina Nuclear

Dados Divulgados por
Ana Maria Vanderlei
3465-9465
Av. Engenheiro Domingos Ferreira 636
Recife, Pernambuco
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Luisiana Lins Lamour
(81) 3442-4599
R Rua Jaco Velosino 101
Recife, Pernambuco
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Renata Duarte Fernandes Vieira
(81) 3321-4000
Rua Paissandu 286
Recife, Pernambuco
Especialidade
Administração em Saúde

Dados Divulgados por
Maria Taciana Antunes Correia Guedes
(81) 3221-4646
Rua Capitao Jose Luz 137 - Sala 206
Recife, Pernambuco
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Monalisa Espíndola
(81) 3082-9429
Av. João de Barros 50 - Centro Diagnóstico Lucilo Ávila Jr.
Recife, Pernambuco
Especialidade
Terapias Complementares e Alternativas

Dados Divulgados por
Ana Tereza da Costa Albuquerque
322-1067
R. Estado do Israel 2621
Recife, Pernambuco
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Artur da Costa Milach Júnior
(81) 3131-7400
Rua Senador José Henrique 141
Recife, Pernambuco
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Marilea de Lima Guimaraes
Rua Tabira 229
Recife, Pernambuco
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Lourdes Cariri Chalegre de Almeida
3222-5039
Av.Joao de Barros 819 - Boa Vista Recife
Recife, Pernambuco
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Glaucoma: prevenção e tratamento

Fornecido por: 



21/05/2009

Glaucoma: prevenção e tratamento

A doença é principal causa de cegueira irreversível

Dia 26 de maio é a data de alerta de uma doença silenciosa e que é a principal causa tratável de cegueira, o glaucoma. O problema atinge cerca de 65 milhões de pessoas em todo o mundo, aproximadamente 900 mil no Brasil e estima-se que exista o mesmo número de portadores não diagnosticados. “Quando a pessoa percebe alteração visual, muitas vezes a doença já pode ser irreversível, ocorrendo perda da visão periférica e estreitando o campo da visão”, explica a oftalmologista do Hospital Nossa Senhora das Graças, Dra. Eliane de Araújo Lima.

O glaucoma ocasiona pressão intra-ocular e alterações circulatórias que atingem o nervo óptico. “A elevada pressão intra-ocular pode danificar o nervo óptico (o que transmite impulsos nervosos do olho para o cérebro). Se o nervo óptico é danificado, a ponto de conseguirmos medir essa perda de visão, essa condição é chamada glaucoma”, esclarece o oftalmologista Marco Canto, diretor da Clínica Canto.

Há vários tipos de glaucoma, o mais comum é o crônico, que se desenvolve sem sintomas e ocorre em quem tem história familiar da doença. Algumas vezes podem ocorrer sintomas como dor, fotofobia (sensibilidade à luz), diminuição visual rápida, pupilas que não reagem à luz, halos coloridos ao redor da luz, olho vermelho, lacrimejamento, dor de cabeça, náuseas e vômitos. “Entretanto, esses sintomas podem ser indicativos de outras doenças, por isso é importante fazer a averiguação”, afirma Dr. Marco Canto.

A principal forma de detecção da doença é o exame que verifica a pressão ocular, que não pode ultrapassar os 21 mmHg (milímetros de mercúrio) e é realizado pelo oftalmologista. “É fundamental a consulta periódica ao especialista, que irá verificar os fatores de risco como a pressão intra-ocular, história familiar, uso de medicamentos, alterações oculares, entre outros fatores. O diagnóstico precoce é essencial para evitar perda de visão”, salienta Dra. Eliane.

Os especialistas explicam que qualquer perda da visão pelo glaucoma é permanente, por isso a importância da prevenção. O glaucoma pode ser controlado com uso de medicamentos prescritos pelo especialista e, em alguns casos, são realizados tratamentos com laser. Entretanto, mesmo com o tratamento, a doença não pode deixar de ser monitorada. “Os exames dev...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535