.
 

Examinando o consumo do café e a saúde cardíaca Corumbá, Mato Grosso do Sul

Cientistas investigaram a possibilidade do café causar alterações no sistema cardíaco. Conheça os detalhes dessa pesquisa que constatou que o consumo dele não prejudica a saúde. "Está claro que, tomar café não leva ao infarto", cita o autor.

Jose Reginaldo Junqueira Meirelles
(67) 3382-6470
R Rui Barbosa 3901
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Francisca Fernanda de Oliveira Nunes Vasconcelos
(67) 3384-4307
Travessa Pepe Simiole 87
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Marcos Paulo Tiguman
(67) 3321-3748
Rua Rui Barbosa 3790
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Angela Herminia Sichineal
(67) 3382-9570
Rua Arthur Jorge 1096 - 2ª Andar Sala 22
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Jose Benedito Geraldes de Lima
(67) 3321-0097
Rua 15 - de Novembro 1465
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Nilo Hidenobu Arakaki
(67) 3325-7272
R Amazonas 210
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Sidnei Tomas de Oliveira e Silva
(67) 721-0485
Rua Treze de Junho 651 - de 0397/398 a 1259/1260
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Alfredo Pinto de Arruda
(67) 382-4061
Rua Maracaju 1277 - de 827 ao Fim
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Alcione Italo Balsanelli Junior
(67) 3323-1800
Rua Padre Joao Crippa 1098
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Antonio Cholfe
(67) 3521-2515
Av. Eloy Chaves 85
Tres Lagoas, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Examinando o consumo do café e a saúde cardíaca

Fornecido por: 



16/10/2009

Cientistas afirmam: café não faz mal à saúde

Primeiros resultados de uma pesquisa feita pelo Instituto do Coração, em São Paulo, indicam que bebida não aumenta o risco de infarto

Alguém duvida de que o café seja uma preferência nacional? Tomar um cafezinho é um gesto repetido milhões e milhões de vezes por dia. No Brasil, essa dose instantânea de tradição e alegria só perde para a água como bebida mais consumida. Nove entre dez brasileiros com mais de 15 anos tomam pelo menos um café por dia. O caminho dele até às xícaras é longo. E o tratamento que se dá a esse símbolo nacional está cada vez melhor.

"Buscamos uma bebida suave, como costumamos falar. Uma bebida que é agradável para a pessoa tomar, que não tenha um sabor estranho nem seja muito forte. Tem que ter um amarguinho, mas com sabor, como se fosse um sabor de fruta. Esse é o ideal", explica o engenheiro agrônomo José Braz Matiello.

Neto de italianos que chegaram ao Brasil no século 19 para trabalhar em lavouras de café, Matiello passou a vida toda no meio delas. Engenheiro agrônomo e pesquisador, em mais de 40 anos de estrada, ele construiu um nome respeitadíssimo no mundo do café.

"As pessoas sempre falaram que o café bom vai para o exterior e o ruim fica aqui. Isso acontecia no passado. Hoje em dia, algum mercado ainda pode pagar um preço melhor. Logicamente, o café vai para lá. Mas o consumo interno cresceu muito, em função também da melhoria da qualidade. Passamos de 17 milhões de sacas. O Brasil é o segundo maior consumidor mundial de café, só perde para os Estados Unidos", diz Matiello.

Mas não dá para esquecer que o café ainda carrega uma certa fama de vilão da saúde. Muita gente se mantém longe dele. A bebida causaria ansiedade, palpitações. O Instituto do Coração da Universidade de São Paulo (Incor-USP) até criou uma unidade de pesquisa especial: Café e Coração. A ideia é, pela primeira vez, no Brasil, analisar a ação do café no organismo, comparando pessoas com doenças do coração, diabéticas ou saudáveis, sem nenhuma doença. Parece simples, mas não é.

Sete voluntários, parte de um primeiro grupo de 27, dedicaram 70 dias à pesquisa. Vida em comum, perfis diferentes. A aposentada Maria Dalva Dias não tem problemas de saúde. Já o marido dela, seu Carlos, tem entupimentos em artérias do coração, que provocam cansaço e dores no peito. Por enquanto, toma remédios. Mas uma cirurgia n&ati...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535