.
 

Evite as doenças típicas do viajante Aldeias Altas MA

Saiba como se prevenir de doenças durante as suas viagens. A infectologista Maria Inês Domingues descreve as situações que expõe a saúde do viajante. Ela ensina como se proteger do contágio de doenças.

Mirante Country Club
(313) 662-1270
r Otoni Alves, 46, sl 106
Pedro Leopoldo, Minas Gerais
 
Jackeline Barbosa
(353) 551-2007
r Doutor Eduardo de Oliveira, 19, Guaxupé
Guaxupe, Minas Gerais
 
Catende Clube Cen Ope Cul Leão XIII
(813) 673-1288
av Getulio Vargas, 69
Catende, Pernambuco
 
Luiz Monzillo
(143) 322-4257
r Expedicionario, 458, Centro
Ourinhos, São Paulo
 
Consultório Dermatologico Maria Helena Barreto Amorin
(41) 223-4263
r Ébano Pereira, 11, cj 1, Centro
Curitiba, Paraná
 
Carlos A Lehnen
(51) 595-2542
r Joaquim Pedro Soares, 500, sl 25, Centro
Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul
 
Marcia V Silveira
(53) 232-7721
r Benjamin Constant, 57, ap 22, Centro
Rio Grande, Rio Grande do Sul
 
Clube Doze de Agosto
(48) 248-2800
av Eng Max de Souza, 1615, Coqueiros
Florianópolis, Santa Catarina
 
Joviano Alves Macedo
(69) 223-2791
r José Bonifacio, 727, Caiari
Porto Velho, Rondônia
 
Roberto CM Gallo
(48) 536-1233
pc Munic, 75, sl 12, Timbé do Sul
Timbe do Sul, Santa Catarina
 

Evite as doenças típicas do viajante

Fornecido por: 



28/01/2009

Medidas preventivas

Viaje com segurança: tomar as vacinas necessárias e informar-se sobre a região do passeio evitam doenças

Viajar é diversão certa durante as férias, entretanto, é preciso tomar alguns cuidados com saúde antes de sair de casa. Medidas simples são valiosas para não atrapalhar as férias com problemas de saúde indesejáveis. “Primeiramente, é importante conhecer o local para onde irá viajar. Saber quais são os surtos, doenças e vacinas exigidas naquele país ou região é a primeira medida a ser tomada”, ensina a infectologista do Hospital Nossa Senhora das Graças, Dra. Maria Inês Domingues.

Uma vacina que deve ser tomada por qualquer pessoa que irá viajar é a imunização contra tétano, aconselha a Dra. Viviane Carvalho Hessel Dias, infectologista do Hospital Nossa Senhora das Graças. “O risco existe mundialmente e uma dose de reforço deve ser tomada a cada 10 anos”. Outra medida preventiva  é ser imunizado contra a febre amarela. Nesse caso, o viajante precisa ser imunizado 10 dias antes de sair de férias, para que a vacina faça efeito.   Para maior segurança, deve-se fazer um consulta com um médico infectologista da área de medicina do viajante. O médico informará o paciente sobre possíveis epidemias no local e vacinas, formas de prevenção, dicas de alimentação e medicamentos necessários. “Além disso, o médico passará informações de ordem prática no caso de acontecer algum acidente e instruirá sobre a necessidade de utilizar um kit de medicamentos para algumas situações, como alergia ou diarréia, por exemplo”, explicam as especialistas.   Na praia, os veranistas devem se proteger contra a hepatite A, transmitida por água e alimentos contaminados, principalmente, em regiões com problemas de saneamento básico, que pode causar insuficiência hepática. Áreas impróprias para banho também oferecem riscos. “Não é somente a ingestão da água, a pessoa pode se contaminar simplesmente com o contato do vírus com a pele e mucosas”, alerta a infectologista Dra. Maria Inês.   O consumo de alguns alimentos crus e frutos do mar consumidos sem cozimento, como mariscos, por exemplo, também pode transmitir a doença. Mal-estar, dor no abdome (principalmente do lado direito), enjôo e “amarelão” nos olhos são sintomas de hepatite A. O tratamento é apenas sintomático, já que o próprio organismo produz anticorpos que curam o problema. &...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535