.
 

Estudo constata porque a luz piora a enxaqueca Abreu e Lima, Pernambuco

Entenda porque as pessoas que sofrem de enxaqueca preferem evitar a luz. O autor disserta sobre a sensibilidade aos ambientes claros. Compreenda os detalhes desse estudo.

Abelardo Ulisses Maia de Farias
3433-7453
R. Sapucaia 13
Paulista, Pernambuco
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Maria Lucia Farias Lins
(81) 3429-2172
Rua do Sol 699
Olinda, Pernambuco
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Claudio Jose de Albuquerque Leimig
3423-4568
Recife, Pernambuco
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Maria de Fatima Leal Griz
Horada 366 - Sl. 02
Recife, Pernambuco
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Angela Maysa Araujo
322-3567
Av. Frei Matias Teves 280
Recife, Pernambuco
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Antonio Marco Duarte de Albuquerque
343-2127
Av. Doutor Jose Augusto Moreira 787
Olinda, Pernambuco
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Maria Lucia Brito Ferreira
Av. Visconde de Jequitinhonha 144
Recife, Pernambuco
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Alfredo Jose da Costa Neto
3423-4568
Av. Portugal 163
Recife, Pernambuco
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Maria do Ceo Amaral
(81) 3231-2193
R Progressodo 465 - Sala 101
Recife, Pernambuco
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Marcelo da Cunha Andrade
228-4122
Rua Benfica 357 - Madalena
Recife, Pernambuco
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Estudo constata porque a luz piora a enxaqueca

Fornecido por: 



12/01/2010

Estudo mostra porque a luz piora a enxaqueca

Os resultados da pesquisa foram publicados na revista Nature Neuroscience

É comum para quem sofre de enxaqueca a vontade de, ao ter um ataque, querer se refugiar em um quarto silencioso e escuro. Embora há tempos se saiba que a luz piora o quadro dessa cefaleia, os motivos por que isso ocorre são desconhecidos.

Agora, um grupo de cientistas nos Estados Unidos identificou um mecanismo que ocorre na sensibilidade à luz durante as crises de enxaqueca tanto em pessoas com visão normal como em deficientes visuais.

Os resultados da pesquisa, publicados na revista Nature Neuroscience, ajudam a compreender melhor os mecanismos por trás do problema ainda sem cura e que atinge milhões de pessoas em todo o mundo.

Fotofobia

De acordo com o estudo, cerca de 85% dos indivíduos com enxaqueca são extremamente sensíveis à luz. A fotofobia faz com que muitos evitem atividades como dirigir ou até mesmo ler e trabalhar.

"Alguns pacientes chegam até mesmo a usar óculos escuros durante à noite", disse um dos autores do estudo, Rami Burstein, professor do Beth Israel Deaconess Medical Center (BIDMC) e da Escola Médica de Harvard.

Foi a constatação de que a fotofobia atinge até mesmo as pessoas cegas - todos pacientes com enxaqueca - que levou o grupo a investigar a hipótese de que os sinais transmitidos pela retina por meio dos nervos ópticos intensificariam as dores.

Sensibilidade à luz entre deficientes visuais

Os pesquisadores examinaram dois grupos de deficientes visuais que sofriam de enxaqueca. Os voluntários no primeiro grupo eram totalmente cegos devido a doenças como câncer na retina ou glaucoma. Como eles não eram capazes de ver imagens ou de perceber luz, tinham dificuldade de manter ciclos normais de sono.

O segundo grupo era formado por deficientes visuais devido a doenças degenerativas como retinite pigmentosa. Embora não fossem capazes de perceber imagens, podiam detectar a presença de luz e manter ritmos normais de dormir e ficar acordado.

"Enquanto os pacientes no primeiro grupo não experimentaram piora em suas dores de cabeça a partir da exposição à luz, os do segundo grupo tiveram uma intensificação nas dores, particularmente na exposição à luz nos comprimentos de onda azul e cinza", disse Burstein.

"Isso indicou que o mecanismo da fotofobia deveria envolver o nervo óptico, porque em indivíduos totalmente cegos esse nervo não transporta os sinais luminosos até o cérebro", afirmou.

Caminho da visão

Os cientistas levaram os resultados ao laboratório, onde realizaram uma série de experimentos em m...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535