.
 

Estudando os aspectos do câncer de testículo Luís Correia PI

Entenda sobre a patologia do câncer de testículo. O autor destaca os aspectos do tratamento direcionado a preservação da fertilidade. Ele também destaca o procedimento para o auto-exame dos testículos.

Paulo Henrique de Carvalho Melo
R Felix Pacheco 2159
Teresina, Piauí
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Antonio Fortes de Padua Filho
(86) 3221-3931
R Gabriel Ferreira 372 - S
Teresina, Piauí
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Jose Andrade de Carvalho Melo
(86) 3221-4220
R Desembargador Pires de Castro 380 - S Sala 807
Teresina, Piauí
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Gildene Alves da Costa
(86) 3221-6050
R Olavo Bilac 2300 - Ambulatorio H Sao Marcos
Teresina, Piauí
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Edimar Duarte Val
(86) 3226-2861
R Sao Pedro 1977 - S 204
Teresina, Piauí
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Katia Maria Marabuco de Sousa
(86) 3233-4111
R Professor Joca Vieira 1269
Teresina, Piauí
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Estudando os aspectos do câncer de testículo

Fornecido por: 



01/12/2009

Como o câncer de testículo interfere na capacidade reprodutiva masculina?

Manter o paciente informado sobre todas as possibilidades terapêuticas, inclusive em relação à preservação de sua fertilidade, é fundamental

Dois em cada mil brasileiros terão algum tipo de câncer em 2010. A estimativa é do Instituto Nacional do Câncer (Inca), que prevê 489.270 novos casos da doença no ano que vem. Deste total, 52% atingirão mulheres e 48%, homens. Nos homens, os cânceres mais frequentes são de próstata (29%), pulmão (10%) e estômago (8%). Entre as mulheres, o de mama (26%), colo do útero (10%) e intestino (8%).

As neoplasias do trato urinário que interferem diretamente na fertilidade masculina são os cânceres de testículo, próstata, uretra, pênis, bexiga e vesículas seminais. “É importante informar a população masculina sobre as formas de prevenção e tratamento destas doenças. Seja pelos efeitos diretos que elas provocam na produção dos espermatozóides – como no caso do câncer de testículo – ou pelos danos relacionados com os tratamentos envolvendo a radioterapia e a quimioterapia”, explica o andrologista Rodrigo Lessi Pagani, professor do Curso de Pós-Graduação em Infertilidade Humana do ICS, Instituto de Ciências da Saúde.

Os avanços nos tratamentos contra o câncer, envolvendo cirurgias, radioterapia e quimioterapia, além das tecnologias para a preservação da fertilidade - como a criopreservação de sêmen, os estudos preliminares de enxerto testicular e o transplante de células germinativas - têm possibilitado à medicina oferecer opções de preservação da fertilidade para os indivíduos com câncer que desejam ter filhos. “É importante que urologistas e oncologistas conheçam e informem a estes pacientes as opções disponíveis para a preservação da fertilidade”, afirma o professor do ICS.

Câncer de testículo

Os testículos fazem parte do órgão reprodutivo masculino e são responsáveis pela produção dos espermatozóides. O câncer de testículo é um tumor menos freqüente, mas tem o agravante de ter maior incidência em pessoas jovens e em idade produtiva. Segundo o INCA, dentre os tumores malignos do homem, 5% ocorrem nos testículos. O câncer de testículo atinge principalmente homens entre 15 e 50 anos de idade. Sua incidência é de três a cinco casos para cada grupo de 100 mil indivíduos.

Quando comparado com outros cânceres que ating...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535