.
 

Estudando o efeito do álcool no cérebro Barbalha CE

Analise os efeitos do álcool no cérebro. O autor destaca que, o abuso da substância pode causar danos cerebrais. Entenda os argumentos dessa constatação.

Edson de Lima Lopes
R Padre Cicero 954
Juazeiro Do Norte, Ceará
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Edson Lopes Jr
3224-0576
R Costa Barros 2373
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Joao Mairton Pereira de Lucena
3224-8848
Rua Pereira Filgueiras 1817
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Eliseu Becco Neto
Rua Barão do Rio Branco 1865
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Andre Soldati Antonio
(85) 3226-4587
Rua Antonio Augusto 1271 - 606
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Jose Sarto Chaves Saraiva
3264-2774
Av Dom Luis 176
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Carlos Vinicius Mota de Melo
3251-1232
R Antonio Augusto 1271
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Francisco Ramos Junior
R Assis Chateaubriand 350
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Rozeana Maria Monteiro Landim
3221-6878
R Ildefonso Albano 820
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Francisco Flavio Leitao Carvalho
3252-5395
R Costa Barros 1300
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Estudando o efeito do álcool no cérebro

Fornecido por: 



07/05/2009

Álcool x cérebro

Uso e abuso da substância pode causar danos cerebrais

RELAÇÃO ENTRE O USO E ABUSO DE ÁLCOOL E DÉFICTS NEUROCOGNITIVOS
 

Em estudo anterior, avaliamos a relação entre o uso e abuso de álcool e drogas e a violência a partir de pesquisas científicas recentes a respeito. Observamos a inquestionável relação entre os dois aspectos. Com essa constatação, tornou-se presente a questão de quais os distúrbios neurocognitivos (diturbios cerebrais que ocasionam distúrbios nos processos intelectuais: atenção, memória, planejando, julgamento, autocontrole e regulação emocional) que o uso e abuso de substâncias podem gerar.    Assim, neste estudo, pretendemos avaliar os distúrbios neurocognitivos que o uso e abuso de álcool possam ocasionar ao longo da vida de pessoas expostas a essa substância. Selecionamos especificamente o álcool por ser a substância de maior consumo mundial. Buscamos artigos recentes (entre 2004 e 2008), em bancos de dados científicos informatizados, para embasar nossa análise, verificando desde a exposição fetal ao álcool até a terceira idade.    Mediante aos critérios de seleção dos artigos, encontramos 29 estudos cujos dados principais encontram-se na tabela anexa (, após abrir, clique na tabela para ampliá-la). Alguns estudos foram realizados com seres humanos e outros foram laboratoriais com animais.    Em relação aos distúrbios neurocognitivos em fetos expostos ao álcool, denominado de síndrome fetal ao álcool, o estudo de Sowell et al. (2008) revelou que houve menos mielinização (revestimento de parte da célula dos neurônios - o axônio - responsável pela transmissão das informações captadas pelos órgãos sensoriais: visão, audição, sensação e olfato) dos neurônios ou áreas com desorganização das fibras neuronais que redundaram em déficits viso-motores (déficits na transmissão e no processamento das informações captadas pelos órgãos sensoriais) em crianças e adolescentes. A mielinização dos neurônios contribui em parte pelo processamento de informações e, em certa medida, relaciona-se à atenção, memória e aprendizagem. Desse modo, as pessoas expostas ao álcool na vida intra-ulterina apresentam prejuízos em algumas das funções neurocognitivas devido aos déficits do processamento de informações viso-motoras. Esse est...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535