.
 

Entenda sobre a epilepsia Trindade GO

Conheça a definição de epilepsia. O autor descreve como é feito o diagnóstico e tratamento da doença. "Em casos de crises epiléticas generalizadas, não é possível proceder o socorro médico, pois elas são passageiras", destaca o autor.

Silas Candido da Silva
(62) 3291-5505
R 0237 - 103
Goiania, Goiás
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Delson Jose da Silva
(62) 3251-9191
Av 15 - 106 Inst Integrado Neuro
Goiania, Goiás
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Herida Andrade Costa
(62) 3291-0638
Centro Medico Samaritano Praca Walter Santos n 18 sl 101 setor coimbra
Goiania, Goiás
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Suely Mitiko Gomi Kuwae
(62) 3250-9454
Rua T-29 Ed. Bueno Medical Center 358 - Sala 611
Goiania, Goiás
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Witer Oliveira Chaves
(62) 3250-3100
R 9 160 - Ed Valeria Frota
Goiania, Goiás
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Helio Fernandes da Silva Filho
(62) 3235-7925
Av 148 - 1309 Cen Med Jd America
Goiania, Goiás
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Valdivino Jose Vieira Junior
(62) 3259-7882
Rua C-148 54 - Hosp Mat Jd America
Goiania, Goiás
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Fêmina Maternidade
Alameda Coronel Joaquim Bastos 120 - Qd. 216Lt. 15/18
Goiania, Goiás
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Wilson Bretones Filho
(62) 3291-5505
R 0237 - 103
Goiania, Goiás
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Gabriel Antonio Simao
(62) 3223-0845
Av 85 148 - Clin Simao
Goiania, Goiás
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Entenda sobre a epilepsia

Fornecido por: 



26/10/2008

Controle de doença

De cada 100 brasileiros, pelo menos um sofre com a epilepsia

Doença que pode ocasionar crises convulsivas ou apenas pequenos desvios motores, a epilepsia, de acordo com a Federação Brasileira de Epilepsia, atinge um em cada 100 brasileiros. A doença, que é crônica, caracteriza-se pelas crises recorrentes e também por uma tendência do cérebro gerar ocorrências epiléticas.

O diagnóstico da doença é feito, principalmente, por conta das crises sucessivas, que tem sintomas variados, desde a mais conhecida, a tônico-clônica (que é generalizada) até outras menores, que lembram pequenos sustos ou ausências de movimentos. "Depende da região cerebral onde o defeito está localizado. Se é próximo da visão, os sintomas iniciais são nessa região, e assim por diante", explica o neurologista do Hospital Nossa Senhora das Graças Dr. Cleverson de Macedo Gracia.   Em casos de crises epiléticas generalizadas, como ocorrem de forma súbita, não é possível fazer um socorro médico, pois elas são passageiras e duram poucos minutos. Quem está perto, explica o médico, deve evitar que a pessoa se machuque (o epilético pode bater a cabeça, braços e pernas) e virar o rosto para que ela não se afogue com o vômito, que também pode ocorrer durante as crises. "Quando uma crise vem seguida da outra significa que são casos mais complexos e que exigem internamento em Unidade de Terapia Intensiva", salienta o neurologista.   O tratamento da doença é feito com medicamentos, os chamados antiepiléticos, que devem ser seguidos com controle pelo paciente. Há também a possibilidade de fazer cirurgia para epilepsia, que é realizada com técnicas pouco invasivas, que diagnosticam exatamente o local do cérebro onde as crises são geradas e tratam a área afetada. "Mas ela é indicada apenas quando não se consegue fazer o controle por meio de medicamentos", afirma Dr. Cleverson.   Ao contrário do que se pensa, quem tem epilepsia, se tomar os remédios corretamente e seguir as orientações médicas, segundo o neurologista, pode levar uma vida completamente normal. Somente em alguns casos, atividades como dirigir são proibidas. "As restrições dependem da gravidade da doença. A maioria dos pacientes controlados não apresenta nenhuma limitação".
Autor: Daiane Strapasson
Fonte: Expressa


Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535