.
 

Cuidando da visão durante a prática de esportes Boa Vista, Roraima

Saiba como evitar problemas oculares durante a prática de esportes. O oftalmologista Leôncio Queiroz Neto explica os cuidados necessários para evitar o surgimento de alterações visuais. Ele descreve os principais problemas que atingem os jogadores de futebol.

Fernando José Martins Ferreira
(95) 224-1433
r Barreto Leite, 46, Centro
Boa Vista, Roraima
 
Centro Psicoterapico Lotti Iris
(95) 224-0104
r Barreto Leite, 46, Centro
Boa Vista, Roraima
 
Luiz Renerys Lima Pinheiro
(95) 224-8437
tv Expedicionarios, 79, Centro
Boa Vista, Roraima
 
DR Ferrer Alessandro
(95) 625-5901
r Clínica São Mateus
Boa Vista, Roraima
 
Dra Ana Lilia GB Souza e Dra Jucineide Vieira Araújo
(95) 224-1460
r Melvim Jones, São Pedro
Boa Vista, Roraima
 
Iate Clube Boa Vista
(95) 623-4309
r Deuzita Mutran Paracat, 100
Boa Vista, Roraima
 
Dra Zara Fátima Botelho de Oliveira
(95) 224-7999
r Araújo Fl, 659, Centro
Boa Vista, Roraima
 
Fed Roraimense Basketball
(95) 224-1451
av Ville Roy W e SL Frb
Boa Vista, Roraima
 
DR Ruy Guilherme S Souza
(95) 224-1460
r Melvim Jones, São Pedro
Boa Vista, Roraima
 
CTG Querência
(95) 224-1381
av Brigadeiro Eduardo Gomes, 1000, São Francisco
Boa Vista, Roraima
 

Cuidando da visão durante a prática de esportes

Fornecido por: 



03/12/2009

Praticar esportes altera a visão

Além da alta freqüência da conjuntivite verificada no brasileirão, aumento da transpiração e estresse geram alterações visuais que comprometem o desempenho

Praticar esportes faz um bem indiscutível à saúde, mas também pode induzir a doenças se não forem tomados cuidados simples para preservar a saúde. Este é o caso da conjuntivite (inflamação da conjuntiva) que no brasileirão afastou do campeonato vários craques: Bruno do Flamengo, Henrique do Corinthians, Arouca do São Paulo, Chiquinho do Atlético – GO, mais cinco jogadores do Fortaleza.

Coceira, vermelhidão, pálpebras inchadas, sensibilidade à luz, lacrimejamento e queda da visão são os sintomas da doença. Segundo o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, a conjuntivite mal tratada pode provocar cicatrizes na córnea que causam declínio permanente da visão, mas é considera um mal menor pelo brasileiro. Tanto que só o medo da gripe suína fez a população adquirir hábitos que previnem a doença: lavar as mãos com freqüência, evitar o compartilhamento de objetos pessoais e aglomerações. É o que aponta um levantamento feito pelo médico de junho a agosto quando o número de diagnósticos teve uma queda de 25%, comparado ao mesmo período de 2008.

Para Queiroz Neto, a alta freqüência da conjuntivite entre jogadores profissionais indica uma incidência bem maior nos participantes de peladas de final de semana. O problema, comenta, é que o futebol e outros esportes de contato dificultam a adesão aos hábitos preventivos. As dicas para driblar esta dificuldade são: evitar levar as mãos aos olhos e o compartilhamento de toalhas durante os jogos.

UMIDADE DOS OLHOS FACILITA SOBREVIVÊNCIA DE VÍRUS

O médico alerta que até no verão os olhos facilitam a sobrevivência de vírus por serem úmidos. Por isso, nesta época do ano a higiene deve ser redobrada para evitar a conjuntivite que cresce 20%. Além do vírus, explica, no calor a conjuntivite pode ser causada por bactérias que se proliferam em ambientes quentes e pelo contato com substâncias químicas que penetram nos olhos através do suor. Ao primeiro sinal de desconforto a recomendação é fazer compressas quentes quando houver secreção amarelada e gelada se a secreção for transparente. Não desaparecendo os sintomas em dois dias é importante consultar um oftalmologista.

DESIDRATAÇÃO AMEAÇA OLHOS


Jogadores de futebol e praticantes de outras ativi...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535