.
 

Controlando a timidez infantil Luís Correia PI

Saiba como motivar o seu filho a se comunicar melhor. O autor ensina como reduzir a timidez infantil. Entenda as causas desse comportamento.

CLINICA DE PSICOLOGIA DENISDEIA SOTERO
(86) 3221-5378
Rua Taumaturgo de Azevedo nr.2112 Espaço Diagmed Fone:3221-5378
Teresina, Piauí
 
Clinica Denisdéia Sotero
(86) 3221-5378
Rua Taumaturgo de Azevedo nr.2112 - Sala 04 - Espaço Diagmed
Teresina, Piauí
 
Clínica Perpétuo Socorro
(86) 3222-1542
av José Santos Silva, 1645, Centro
Teresina, Piauí

Dados Divulgados por
Clínica de Medicina e Psicologia do Tráfego
(86) 3233-4444
av Sen Área Leão, 1625, Jockey Club
Teresina, Piauí

Dados Divulgados por
CLIPSI-Clínica de Psicologia
(86) 3223-0929
r S Pedro, 1977 Sl 103, Centro
Teresina, Piauí

Dados Divulgados por
Clínica Diálogo
(86) 3222-0977
r Félix Pacheco, 2008 sl 208, Centro
Teresina, Piauí

Dados Divulgados por
Clínica Psicocentro
(86) 3233-9553
av Homero Castelo Branco, 1418, Joquei Clube
Teresina, Piauí

Dados Divulgados por
Clínica Francisca
(86) 3221-1043
r Coelho Resende Norte, 891, Centro
Teresina, Piauí

Dados Divulgados por
CIDH - Centro Integrado de Desenvolvimento Humano
(86) 3221-1362
r Benjamin Constant, 2232, Centro
Teresina, Piauí

Dados Divulgados por
Centro Crer Ser
(86) 3234-1186
av Raul Lopes, 966, Noivos
Teresina, Piauí

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Controlando a timidez infantil

Fornecido por: 



30/11/2009

Como os pais podem ajudar crianças e adolescentes muito tímidos

O mais comum é a timidez tornar-se mais evidente por volta dos cinco ou seis meses

A timidez pode ser detectada desde muito cedo. E bebês que demoram mais para interagir com o meio externo ou com pessoas estranhas, ou a se adaptar às situações novas, tendem a ser crianças mais tímidas. É o que afirma a psicoterapeuta Sâmara Jorge.

O mais comum é a timidez tornar-se mais evidente por volta dos cinco ou seis meses, fase em que a criança começa a reconhecer as pessoas e pode estranhar quem não conhece, ficando mais retraída, ou o início na escola. "Entretanto, é importante ressaltar que isso não representa necessariamente um problema", explica a psicoterapeuta. "Se houver sinais de timidez, o mais indicado é lidar com isso naturalmente, respeitando a forma de ser de seu filho. Crianças também têm o direito de ficar quietinhas!".

Mas é claro que se os pais perceberem que a timidez está causando algum tipo de sofrimento à criança é preciso conversar com ela, incentivando-a a falar sobre seus sentimentos, medos e inseguranças. Muitas vezes, a criança acha que algo pode estar errado com ela, simplesmente por se sentir diferente de um amigo mais extrovertido, ou de um irmão mais popular. "Se a mãe percebe que há travas, que há limitações, e que a criança não consegue superá-las, uma conversa franca no sentido de esclarecer o assunto sempre é útil. Para a criança o mundo adulto é muito complexo e muitas vezes ela precisa do respaldo e da tradução de um adulto", explica o psicólogo René Schubert.

Influência da mãe

Uma criança que se isola, que não quer participar de atividades e brincadeiras, nem ir ao parque ou a uma festa de aniversário, é uma criança que está deixando de experimentar coisas novas, fazer amigos e se divertir. Nesse caso, o papel da mãe é fundamental - para o bem ou para o mal. Como a mãe é o modelo de socialização do filho nos primeiros anos de vida, sua postura ao lidar com o assunto pode ajudar a criança a superar suas dificuldades ou pode agravar a situação.

“Incentivar amizades, sugerindo que ele escolha um amigo para brincar em casa é um caminho, assim como elogiar quando consegue vencer a timidez diante de uma situação difícil para ele. Vale também acolher, sem criticar, momentos em que não consegue”, aconselha Jorge. Mas a psicoterapeuta alerta que forçar a criança a se soltar pode ter o efeito inverso: &ldq...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535