.
 

Controlando a obesidade na infância Fortaleza, Ceará

Conheça os problemas causados pela obesidade infantil. "Além dos problemas relacionados à saúde, as crianças com sobrepeso também enfrentam o preconceito", destaca o autor. Saiba como prevenir o problema.

Maria Leides P Albuquerque
3279-5028
R Alice 425
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Ana Virginia M da F Ribeiro
3461-3131
R Doutor Jose Lourenco 1860
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Amancio de Jesus Ferreira Costa
R Vicente Padilha 512
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Maria do Socorro Silveira Magalhaes
Rua Pe Luis Figueira 550
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Heloisa Beatriz de Holanda
3271-2091
R Doutor Jose Furtado 1660
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Dalgimar Beserra de Menezes
3231-9075
R Joao Cordeiro 1656
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Adriana Alencar Araujo
3288-4494
R Papi Junior 1222
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Jorge Cambraia Filho
(085) 4011-5582
Av. Dom Luis 1200 - Torre Business (Sala 1311)
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Medicina Estetica

Dados Divulgados por
Irene de Castro Maia Nogueira
Av Antonio Sales 2933
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Renato de Miranda S Sobrinho
3261-9294
Av Sen. Virgilio Tavora 1901
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Controlando a obesidade na infância

Fornecido por: 



25/11/2008

Obesidade na infância

Criança gordinha pode ser infeliz

A obesidade está aumentando no Brasil e cada vez mais atinge as crianças. Além dos problemas relacionados à saúde, as crianças com sobrepeso também enfrentam o preconceito. “Quem apresenta sobrepeso é excluído dos grupos sociais, ridicularizado, considerado preguiçoso, sem ‘força de vontade’, sem personalidade, mentiroso e que se encontra na atual condição física por sua culpa”, aponta a psicóloga Talita Marques.

As discriminações que as crianças obesas sofrem são diversas. Na escola é comum apelidos como “baleia”, “rolha de poço”, “bujão de gás” e outros. , etc, são corriqueiros. Além disso, as crianças com sobrepeso são discriminadas por serem maiores, mais lentas, ou por usarem roupas de adulto, pois as marcas que a maioria dos colegas usa não têm numeração grande. “Freqüentemente, essas crianças acabam vítimas de bullying - crianças que são humilhadas, sofrem agressão física e/ou verbal de seus colegas motivadas pela diferenças, cor de pele, uso de óculos, peso”, alerta a psicóloga.   É na infância que é formada a personalidade, explica Talita Marques, e os prejuízos emocionais desta fase podem acompanhar a criança pelo resto da sua vida. “Nesta etapa da vida é fundamental sentir-se aceito para a boa construção da auto-estima e auto-imagem positiva e saudável, e os obesos têm que fazer muita força para agradar”. As crianças com sobrepeso acabam como as “engraçadas” da turma, as que passam cola no dia da prova, tudo para serem aceitas e não sofrerem tanto com sua imagem pessoal. “Isso é extremamente difícil, pois o reforço social da magreza e discriminação do sobrepeso é algo que está muito enraizado na sociedade”, ressalta.   A influência da família   A ajuda dos pais é essencial no tratamento de um filho obeso. A psicóloga salienta que eles podem trabalhar trabalhando a auto-estima de seu filho, reforçando suas características positivas e o que ele faz bem. Caso o preconceito venha da escola, é importante procurar a Diretoria e os professores e esclarecer o que está acontecendo. “Ninguém deve sucumbir à estigmatização da obesidade, nem a escola, nem a família, nem a própria criança. É fundamental que a escola ensine às crianças que obesidade é uma doença, as...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535