.
 

Consumo de fibras pode interferir na ovulação Luís Correia PI

Uma pesquisa constatou que, mulheres que consomem muitas fibras correm o risco de ovular menos. "O alto consumo de fibras foi associado ao risco elevado de ocorrência de ciclos menstruais anovulatórios, ou seja, quando os ovários não liberam o óvulo". Conheça também, a opinião do especialista em reprodução humana Alfonso Massaguer acerca desse assunto.

Joaquim Vaz Parente - Clam
233-2721
Av Dom Severino 1410
Teresina, Piauí
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Benedita Andrade Leal de Abreu
R Desembargador Pires de Castro 489 - S
Teresina, Piauí
Especialidade
Medicina Nuclear

Dados Divulgados por
Carla Soares Fortes
(86) 3221-6050
R Olavo Bilac 2300 - Ambulatorio H Sao Marcos
Teresina, Piauí
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Dr. Anatole Santos de Almeida Borges
(86) 8845-0070
Rua Magalhães Filho, 768. Centro/Sul. Teresina-PI
Teresina, Piauí
Especialidade
Reprodução Humana/ Ginecologia

Multclinn Fonoaudiologia Psicologia
0(86) 3081 0567
rua bejamin constant 1367 centro
teresina, Piauí
Especialidade
fonoaudiologia e psicologia

Lucia Maria Machado Rego
863-2225
R Primeiro de Maio 1066
Teresina, Piauí
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Lucia Maria de Miranda Adad
(86) 221-8240
R Governador Raimundo Artur de Vasconcelos 616 - S
Teresina, Piauí
Especialidade
Genética Médica

Dados Divulgados por
Ana Paula de Sousa Pereira
086 9947-8208
Rua Prof. alda Neiva 4781 Dirceu II
Teresina, Piauí
Especialidade
Fisioterapia

Implantes Dentais / Odontologia / Teresina
(86) 3217-3215
Rua Pires de Castro 260 - Sala 203 - Ed. Dergin
Teresina, Piauí
Especialidade
Implantes Dentarios

Assoc Recreativa Cepisa Cofearc
(86) 367-1426
av Tancredo Neves, 2625, Luís Correia
Luis Correia, Piauí
 
Dados Divulgados por

Consumo de fibras pode interferir na ovulação

Fornecido por: 



04/01/2010

Mulher que come mais fibras pode ovular menos vezes

É o que sugere uma pesquisa realizada com 250 mulheres com idade entre 18 e 44 anos

Mulheres que ingerem as doses recomendadas de fibras podem ter níveis mais baixos de estrogênio e ovular com menos frequência do que aquelas que consomem menos fibras. É o que sugere uma pesquisa realizada com 250 mulheres com idade entre 18 e 44 anos, todas saudáveis e com períodos menstruais regulares. O trabalho foi publicado no "American Journal of Clinical Nutrition".

O alto consumo de fibras, particularmente de frutas, também foi associado a um risco mais elevado de ter ciclos menstruais anovulatórios --em que os ovários não liberam o óvulo. Aquelas que relataram a taxa mais alta de consumo de fibras --22 g por dia ou mais-- tinham maior probabilidade de um ciclo anovulatório em dois meses. A taxa foi de 22%, contra 7% entre as mulheres com consumo mais baixo de fibras.

Após terem sido feitos ajustes nos resultados para fatores que podem afetar a ovulação --como IMC (índice de massa corporal), níveis de atividade física e ingestão calórica--, o consumo de fibras foi associado a um risco dez vezes mais alto de anovulação.

De acordo com o ginecologista Alfonso Massaguer, especialista em reprodução humana e professor da FMU (Faculdades Metropolitanas Unidas), dieta e peso adequados na verdade têm um efeito positivo na ovulação, e a ingestão de fibras contribui para isso.

"A mulher que come mais fibras consegue controlar melhor o peso e o colesterol, além de reduzir o tecido adiposo, melhorando a ovulação", afirma o médico. "Vemos que, entre mulheres que não ovulam, melhorar a dieta aumenta a chance de isso ocorrer."

Para ele, não é possível, com base em um único estudo, orientar as mulheres com problemas de ovulação a não comer fibras, visto que a carência desse nutriente é um problema sério de saúde.


Autor: Rachel Botelho
Fonte: Folha Online


Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535