.
 

Consultório de Psicólogos Leme, São Paulo

Encontre consultório de psicólogos em Leme. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

CONSULTÓRIO DE PSICOLOGIA DRa CLEONICE SARAN
(11) 4186.7620 - (11) 99751565 - (11) 4183.4850
Av. Inocencio Seráfico, 4495
Carapicuiba, São Paulo
 
Adriana Botarelli
(17) 9126-1466
Rua Rio Preto, 3258, Redentora
São José Rio Preto, São Paulo
 
Psicologia Clínica
(12) 3132-6334
Rua José Ferreia Viana, 18
Guaratinguetá, São Paulo
 
Psicóloga Clínica
(11) 9109-6113
Itapecerica da Serra
Itapecerica da Serra, São Paulo
 
Clínica Integrada
(15) 3305-6242
Rua Treze de Fevereiro, 297 - Tatuí/SP
Tatuí, São Paulo
 
Consultório de Psicologia em Aparecida SP
(12) 9758-8588
Av. Dr. Júlio Prestes, 391
Aparecida, São Paulo
 
Ipep Instituto Psico Pedagógico S/C Ltda
(11) 4992-1568
av Anchieta,Pe, 382, Jardim
Santo André, São Paulo

Dados Divulgados por
Consultório de Psicologia em Aparecida SP
(12) 9758-8588
Av. Dr. Júlio Prestes, 391
Aparecida, São Paulo
 
Ego Clínica Psicológica e Integrada S/C Ltda
(11) 4828-5302
r Felipe Sabbag, 145, Centro
Ribeirão Preto, São Paulo

Dados Divulgados por
Luís Gustavo Messineti Zinato
(17) 9708-9864
Avenida 19, 1181 - Ruas 26 e 28
Barretos, São Paulo
 
Dados Divulgados por

Consultório de Psicólogos

Fornecido por: 

O estatus marital é algo que pode fazer a diferença em como os indivíduos lidam com a saúde e também em como lidar com uma nova situação econômica após um dos parceiros passar por um episódio onde haja comprometimento das funções motoras. Um estudo feito pela Universidade de British Columbia, Canadá, mostrou que entre os casais há sempre um indivíduo com maiores vencimentos ou “melhores-remunerados” (na maioria das vezes os maridos, mas não é regra geral) que compensam os “piores-remunerados” (normalmente as esposas, apontam os pesquisadores). Em compensação, caso haja uma crise de saúde abrupta, esses “piores-remunerados” tendem a promover um maior cuidado nos períodos de necessidade do casal.

O estudo, feito por Giovanni Gallipoli e Laura Turner, examinaram os dados de uma pesquisa econômica ampla feita pelo governo canadense. Eles descobriram que esse tipo de padrão de relacionamento garante uma espécie de “seguro”, um importante mecanismo onde os períodos de doença podem ser superados e garantem que o “melhor-remunerado” se recupere melhor e mais rapidamente.

Outro dado interessante, encontrado pelos pesquisadores foi que quanto maior o risco de saúde do cônjuge “melhor-remunerado” maiores os obstáculos impostos por esses na hora de uma separação. Em compensação, quanto menor o risco de enfrentar uma crise de saúde mais esses casais são propensos a finalizar uma relação durante a “crise da meia idade”, quando o casamento assume um declínio a partir dos 40 anos.

Quanto mais velhos os casais, e mais próximo à aposentadoria, mais os homens valorizam suas relações maritais. O estudo fez parte de uma pesquisa na área de economia e sugere que as relações entre casais, envolvendo saúde e ganhos monetários com o trabalho podem ser vistos na forma de “bolsas de valores” com viés social e comportamental.


Autor: Imprensa
Fonte: O que eu tenho? com informações da University of British Columbia


Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535