.
 

Consultório Neurológico Rio Branco, Acre

Encontre consultório neurológico em Rio Branco. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Gilcilene de Souza Almada Pereira de Araujo
R Rua Dom Bosco 573
Rio Branco, Acre
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Clinisaúde
(68) 3223-4054
r Mal Deodoro,690 Capoeira
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Centro Acreano de Pesquisa e Assistência Integrada
(68) 3223-5588
r Goldwasser Santos, 31 Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Clinicas Reuniodas
(68) 3223-6008
r José Melo, 107 Q.107 sL.80 Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Consultório Médico
(68) 3222-7170
r Epaminondas Jacome, 178 Cadeia Velha
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Antonio Lisboa Carneiro Braga
(68) 3223-9023
Rua Alvorada 178 - Centro Médico/Sala 08
Rio Branco, Acre
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Med Medicina Diagnóstico
(68) 3223-3705
av Getúlio Vargas, 1940 Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Clínica Santa Lúcia
(68) 3224-8057
av Getúlio Vargas, 1919 s 2 Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Clini Parque
(68) 3224-1077
Tv Campo do Rio Branco, 313 Capoeira
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Clínica Centrocor
(68) 3223-5193
r Alvorada, 54 Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Consultório Neurológico

Fornecido por: 

Algumas pessoas com o mal de Parkinson desenvolvem sérios sintomas de abstinência quando tentam reduzir um tipo muito usado de medicamento para Parkinson, relatam pesquisadores.

Os medicamentos, conhecidos como agonistas de dopamina, incluem o pramipexole, vendido como Mirapex, e o ropinirole, vendido como Requip. Eles ajudam a controlar os problemas de movimento causados pelo Parkinson, mas podem provocar outros problemas em alguns pacientes - como problemas de controle de impulso, em que as pessoas comem, apostam ou compram de forma compulsiva.

Alguns pacientes, que tentaram parar de tomar os medicamentos por causa das compulsões, desenvolveram rapidamente outro problema: sintomas de abstinência, como ansiedade, ataques de pânico, náuseas, sudorese, dores, fadiga, tonturas e desejo pelo remédio.

Os problemas são descritos num artigo publicado no jornal "Archives of Neurology" por pesquisadores do hospital NewYork-Presbyterian/Weill Cornell. Eles estudaram 93 pacientes; 40 haviam tomado agonistas de dopamina, e 26 haviam parado com eles, principalmente graças a comportamentos compulsivos. Desses 26, cinco enfrentaram uma forte síndrome de abstinência.

Dois se recuperaram totalmente, mas três não conseguiram parar com o remédio. Os pesquisadores aconselham que as pessoas que tentam parar com esses medicamentos sejam cuidadosamente monitoradas.


Autor: do New York Times
Fonte: Folha Online


Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535