.
 

Conheça o tratamento para epilepsia Luís Correia PI

Saiba como é realizada a terapia VNS. O neurocirurgião Murilo Meneses descreve a técnica aplicada no tratamento da epilepsia. "VNS é uma estimulação do nervo vago esquerdo do pescoço, que é feita por um pequeno disco implantado sob a pele, abaixo da clavícula esquerda", destaca o autor.

Luiz Claudio Pereira Galvao
(86) 3222-3912
R Felix Pacheco 2159 - Sala 406
Teresina, Piauí
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
In Neurofisio - Investigacao de Neurol. e Neurof
(86) 223-1718
Gabriel Ferreiraz/Nate 1125 - /1126 986
Teresina, Piauí
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Arquimedes Cavalcante Cardoso
(86) 3221-4462
R Governador Raimundo Artur de Vasconcelos 670 - Sl 405
Teresina, Piauí
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Marcos Alcino Soares S Marques
(86) 4009-1100
R Coelho de Resende 1276 - Espaco Vida Hti
Teresina, Piauí
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Wilson Nunes Martins
(61) 0862-2378
R Sao Pedro 2700
Teresina, Piauí
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Manoel Baldoino Leal Filho
226-1766
R Gov Artur de Vasconcelos 670 - Sl 403
Teresina, Piauí
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Jose Nazareno Pearce de O Brito
R Sao Pedro 2133 - Cl Lucidio Portela
Teresina, Piauí
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Nilmar Pereira da Silva
R Rio Grande do Sul 897 - S
Teresina, Piauí
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Francisco Ferreira Ramos
(86) 3222-6523
R Rio Grande do Sul 1030 - S
Teresina, Piauí
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Antonio de Padua Rego Junior
(86) 3221-1023
R Coelho de Resende 123 - Sul
Teresina, Piauí
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Conheça o tratamento para epilepsia

Fornecido por: 



07/09/2009

Terapia VNS

Nova terapia é esperança para pacientes com epilepsia refratária

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que existem no mundo 50 milhões de portadores de epilepsia. No Brasil, cerca de dois milhões de pessoas sofrem com a doença, que pode ser controlada com medicamentos em cerca de 70% dos casos. Quando não é possível fazer o controle com medicação, a doença é chamada de epilepsia refratária (quando a doença está localizada em uma área delimitada do cérebro). Nestes casos, que são considerados graves, a indicação de tratamento é cirúrgica. A técnica mais moderna é a Terapia VNS (sigla em inglês para Estimulação do Nervo Vago), desenvolvida com a ajuda de um marcapasso, que serve para fazer a estimulação do nervo vago. “A técnica ajuda a reduzir as crises de epilepsia quando a cirurgia tradicional não é indicada”, revela o neurocirurgião do Instituto de Neurologia de Curitiba (INC), Dr. Murilo Meneses.

Sem precisar fazer a cirurgia no cérebro, a Terapia VNS é uma estimulação do nervo vago esquerdo do pescoço, que é feita por um pequeno disco (marcapasso) implantado sob a pele, abaixo da clavícula esquerda, próximo da axila. “A estimulação é feita no lado esquerdo, pois nesta área existem mais fibras de ligação com o cérebro”, detalha o neurocirurgião. Também são implantados dois minúsculos fios no pescoço, sob a pele, que são ligados ao marcapasso para levar o impulso até o nervo vago. O Dr. Murilo Meneses explica que a cirurgia é simples, as cicatrizes são praticamente imperceptíveis e o tempo de recuperação é menor. O aparelho deixa apenas uma pequena protuberância no peito. “Os benefícios do procedimento são visíveis ao longo dos dois primeiros anos. O marcapasso permite que, gradualmente, ocorra uma redução nas crises de epilepsia, e em alguns casos, pode acontecer a suspensão dos medicamentos”, esclarece o médico.

Duas semanas após a cirurgia, o aparelho é ligado e programado para enviar os impulsos elétricos automaticamente para o cérebro. “O marcapasso funciona 24 horas por dia e a quantidade destes impulsos podem variar de acordo com a necessidade de cada paciente”, conta o neurocirurgião. A durabilidade de um aparelho pode chegar a 11 anos. A terapia pode causar algumas reações, as mais comuns são: rouquidão temporária ou mudanças no tom de voz, tosse, pequeno desconforto na g...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535