.
 

Conheça o tratamento para epilepsia Delmiro Gouveia AL

Saiba como é realizada a terapia VNS. O neurocirurgião Murilo Meneses descreve a técnica aplicada no tratamento da epilepsia. "VNS é uma estimulação do nervo vago esquerdo do pescoço, que é feita por um pequeno disco implantado sob a pele, abaixo da clavícula esquerda", destaca o autor.

Joao Lima Souza
(75) 3281-3212
Av.Apolonio Sales 136
Paulo Afonso, Bahia
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Aldo Sergio Calaca Costa
(82) 3327-1373
R Doutor Antonio Cansancao 465
Maceio, Alagoas
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Rui Oliveira Costa
822-1237
R Hugo Correa Paes 253
Maceio, Alagoas
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Lucia Helena Braz Reis da Silva
(82) 3338-2431
R. Manoel Gonçalves Tenorio 99
Maceio, Alagoas
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Ronaldo Buarque Gusmao
823-2180
Av Fernandes Lima Km 05
Maceio, Alagoas
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
João Pedro Jatoba Neto
Rua Franca Morel 126
Maceio, Alagoas
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Ubiratan Silveira Jatoba
Professor Sandoval Arroxelas 863
Maceio, Alagoas
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Ricardo Buarque Tenorio
(82) 3326-1945
R Pedro Monteiro 137
Maceio, Alagoas
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Rosangela Ferreira de Macedo
(82) 2126-0704
R Dr. Afonso de Melo 68 - Edf.Harmony Center7 Andarsl 704Stella Maris
Maceio, Alagoas
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Adolfo Vasconcelos de Albuquerque
(82) 3241-4250
Ulisses Braga Junior 323
Maceio, Alagoas
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Conheça o tratamento para epilepsia

Fornecido por: 



07/09/2009

Terapia VNS

Nova terapia é esperança para pacientes com epilepsia refratária

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que existem no mundo 50 milhões de portadores de epilepsia. No Brasil, cerca de dois milhões de pessoas sofrem com a doença, que pode ser controlada com medicamentos em cerca de 70% dos casos. Quando não é possível fazer o controle com medicação, a doença é chamada de epilepsia refratária (quando a doença está localizada em uma área delimitada do cérebro). Nestes casos, que são considerados graves, a indicação de tratamento é cirúrgica. A técnica mais moderna é a Terapia VNS (sigla em inglês para Estimulação do Nervo Vago), desenvolvida com a ajuda de um marcapasso, que serve para fazer a estimulação do nervo vago. “A técnica ajuda a reduzir as crises de epilepsia quando a cirurgia tradicional não é indicada”, revela o neurocirurgião do Instituto de Neurologia de Curitiba (INC), Dr. Murilo Meneses.

Sem precisar fazer a cirurgia no cérebro, a Terapia VNS é uma estimulação do nervo vago esquerdo do pescoço, que é feita por um pequeno disco (marcapasso) implantado sob a pele, abaixo da clavícula esquerda, próximo da axila. “A estimulação é feita no lado esquerdo, pois nesta área existem mais fibras de ligação com o cérebro”, detalha o neurocirurgião. Também são implantados dois minúsculos fios no pescoço, sob a pele, que são ligados ao marcapasso para levar o impulso até o nervo vago. O Dr. Murilo Meneses explica que a cirurgia é simples, as cicatrizes são praticamente imperceptíveis e o tempo de recuperação é menor. O aparelho deixa apenas uma pequena protuberância no peito. “Os benefícios do procedimento são visíveis ao longo dos dois primeiros anos. O marcapasso permite que, gradualmente, ocorra uma redução nas crises de epilepsia, e em alguns casos, pode acontecer a suspensão dos medicamentos”, esclarece o médico.

Duas semanas após a cirurgia, o aparelho é ligado e programado para enviar os impulsos elétricos automaticamente para o cérebro. “O marcapasso funciona 24 horas por dia e a quantidade destes impulsos podem variar de acordo com a necessidade de cada paciente”, conta o neurocirurgião. A durabilidade de um aparelho pode chegar a 11 anos. A terapia pode causar algumas reações, as mais comuns são: rouquidão temporária ou mudanças no tom de voz, tosse, pequeno desconforto na g...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535