.
 

Colírios genéricos e de marca têm fórmulas diferentes Rio Verde, Goiás

"Análise da bula de antiglaucomatosos aponta diferenças nos ingredientes excipientes que garantem a absorção dos medicamentos", destaca o autor. Ele descreve a constatação do oftalmologista Leôncio Queiroz Neto. Entenda sobre os princípios ativos das medicações usadas para o tratamento do glaucoma.

Riolab Laboratório
Rua Afonso Ferreira 48
Rio Verde, Goiás
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Luiz Murilo Martins de Araujo
(62) 3221-9000
R 3 - C 63 Lab Padrao
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Jose Antonio Cesar da Silva
(62) 3281-2900
Al Cel Eugenio Jardim 30 - Cen Med Excelsior
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Cilene Angelica Di Silva Ferro
(62) 3524-8743
Av. Contorno Nº 2151 2151 - Área do Terminal Rodoviário Norte
Goiania, Goiás
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Rosa Christina a Figueiredo
(62) 3541-6022
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Flavia de Castro Santana
(62) 3236-9300
Rua T-58 Esquina com T-38 315 - Sala 110
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Euler de Bastos Morais
R 9a (062) 2125207
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Fernanda Carneiro Beraldo
623-2816
Al Coronel Joaquim de Bastosº 248
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Marise Amaral Reboucas Moreira
(62) 3230-1050
Aparecida de Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Wagna Cristini Rocha
(62) 3281-5413
R 48 - 634 Clin Med Carilli
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Colírios genéricos e de marca têm fórmulas diferentes

Fornecido por: 



02/03/2009

Colírios genéricos e de marca têm fórmulas diferentes

Análise da bula de antiglaucomatosos aponta diferenças nos ingredientes excipientes que garantem a absorção dos medicamentos

A legislação brasileira de medicamentos genéricos se baseia na norte-americana e é clara – só podem chegar ao mercado produtos que tenham a mesma equivalência farmacêutica (princípios ativos) e bioequivalência (absorção) que o medicamento referência de origem. Nos EUA a agência reguladora de medicamentos, FDA, não exige que os genéricos oftálmicos tenham os mesmos ingredientes excipientes que medicamento referência. De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, significa que a absorção e conforto podem variar. No Brasil não é diferente. O mercado nacional de genéricos conta com colírios antiglaucomatosos produzidos a partir de 4 princípios ativos: Maleato de Timolol, Brimonidina, Betaxolol e Dorzolamida. Uma análise das bulas aponta que os ingredientes excipientes não são exatamente iguais aos dos colírios de marca. Não quer dizer, ressalta, que o efeito seja distinto. Ele diz que a experiência clínica aponta que o colírio genérico controla a pressão intra-ocular (PIO), principal alteração provocada pelo glaucoma, de forma semelhante ao medicamento de marca. Entretanto, a indústria de genéricos brasileira tem apenas 10 anos. Por isso, faltam parâmetros científicos de longo prazo para avaliar a eficácia e tolerância desses medicamentos que devem ser usados continuamente, do diagnóstico ao final da vida. Apesar das diferenças nos excipientes serem pequenas quem faz tratamento com genéricos, ressalta, não deve variar de marcas, como muitos pacientes fazem sem nem mesmo consultar o médico. Isso porque, podem ocorrer variações da PIO que acabam não sendo detectadas, o que contribui para a progressão do glaucoma. O grande problema destaca, é que a bioequivalência das medicações sistêmicas pode ser medida através de um simples exame de sangue, enquanto que nos olhos esta avaliação é mais complicada. Para ele, isso influencia o receituário no País. Outro fator é a redução de 35% da pressão intra-ocular proporcionada pelos análogos de prostaglandina, que só precisam ser instilados uma vez ao dia, mas por serem drogas inovadoras não têm genéricos no mercado.   Diagnóstico precoce evita cegueira   Queiroz Neto afirma que o glaucoma é a maior causa de cegueira definitiva. Atinge...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535