.
 

Colírios genéricos e de marca têm fórmulas diferentes Igarapé-Miri PA

"Análise da bula de antiglaucomatosos aponta diferenças nos ingredientes excipientes que garantem a absorção dos medicamentos", destaca o autor. Ele descreve a constatação do oftalmologista Leôncio Queiroz Neto. Entenda sobre os princípios ativos das medicações usadas para o tratamento do glaucoma.

Mario Fernando Ribeiro de Miranda
(91) 241-1048
Av Alm Wandenkolk 1243 - Sala 704
Belem, Pará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Diana Ecila Tavares Acatauassu Teixeira
913-2424
Tv Quatorze de Marco 1299
Belem, Pará
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Manoel de Almeida Moreira
(91) 223-0692
Rua Antonio Barreto 380
Belem, Pará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Anatomo Patologistas Associados S/A
R Ferreira Cantao 454 - S/2
Belem, Pará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
ACADEMIA DA GESTANTE
(91) 3228-2127
Tv Boaventura da Silva, 1535
Belém, Pará
Especialidade
Ginecologia e Obstetricia

Maria de Fatima Mesquita Jorge Joao
Trav.Ove de Janeiro 2110 - Sala 1601Ed. Wall Street
Belem, Pará
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Fernando Antonio Martins
(91) 3236-4186
Av. Duque de Caxias 1540
Belem, Pará
Especialidade
Administração em Saúde

Dados Divulgados por
Priscilla Leite Dias
(91) 3222-6145
R Ferreira Cantao 454 - Sala 01
Belem, Pará
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Clínica F.J.S. Leite
(91) 3266-1393
av Alm Barroso, 962, São Brás
Belém, Pará

Dados Divulgados por
FISIOESP
(93) 3522-3282
Av. Mendonça Furtado, clínica vitale,1589, sala 12
Santarém, Pará
Especialidade
FISIOTERAPIA

Dados Divulgados por

Colírios genéricos e de marca têm fórmulas diferentes

Fornecido por: 



02/03/2009

Colírios genéricos e de marca têm fórmulas diferentes

Análise da bula de antiglaucomatosos aponta diferenças nos ingredientes excipientes que garantem a absorção dos medicamentos

A legislação brasileira de medicamentos genéricos se baseia na norte-americana e é clara – só podem chegar ao mercado produtos que tenham a mesma equivalência farmacêutica (princípios ativos) e bioequivalência (absorção) que o medicamento referência de origem. Nos EUA a agência reguladora de medicamentos, FDA, não exige que os genéricos oftálmicos tenham os mesmos ingredientes excipientes que medicamento referência. De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, significa que a absorção e conforto podem variar. No Brasil não é diferente. O mercado nacional de genéricos conta com colírios antiglaucomatosos produzidos a partir de 4 princípios ativos: Maleato de Timolol, Brimonidina, Betaxolol e Dorzolamida. Uma análise das bulas aponta que os ingredientes excipientes não são exatamente iguais aos dos colírios de marca. Não quer dizer, ressalta, que o efeito seja distinto. Ele diz que a experiência clínica aponta que o colírio genérico controla a pressão intra-ocular (PIO), principal alteração provocada pelo glaucoma, de forma semelhante ao medicamento de marca. Entretanto, a indústria de genéricos brasileira tem apenas 10 anos. Por isso, faltam parâmetros científicos de longo prazo para avaliar a eficácia e tolerância desses medicamentos que devem ser usados continuamente, do diagnóstico ao final da vida. Apesar das diferenças nos excipientes serem pequenas quem faz tratamento com genéricos, ressalta, não deve variar de marcas, como muitos pacientes fazem sem nem mesmo consultar o médico. Isso porque, podem ocorrer variações da PIO que acabam não sendo detectadas, o que contribui para a progressão do glaucoma. O grande problema destaca, é que a bioequivalência das medicações sistêmicas pode ser medida através de um simples exame de sangue, enquanto que nos olhos esta avaliação é mais complicada. Para ele, isso influencia o receituário no País. Outro fator é a redução de 35% da pressão intra-ocular proporcionada pelos análogos de prostaglandina, que só precisam ser instilados uma vez ao dia, mas por serem drogas inovadoras não têm genéricos no mercado.   Diagnóstico precoce evita cegueira   Queiroz Neto afirma que o glaucoma é a maior causa de cegueira definitiva. Atinge...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535