.
 

Clínica de Disfunções Sexuais Santana, Amapá

Encontre clínica de disfunções sexuais em Santana. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Joana Silva Carvalho/Hemodiagnostico
700-0705
Av. Coaracyunes 890
Macapa, Amapá
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Paulo Roberto Balbino
(96) 3223-0737
Avenida 13 - de Setembro 543
Macapa, Amapá
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Instituto de Oncologia e Mastologia S/c Ltda
(96) 3261-1560
tr Joaquim Gouveia, 160, Alvorada
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
R. S. Amorim - Me
(96) 3217-0333
av Mendonça Júnior, 543, Central
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
Sigma
(96) 3223-4188
av Ernestino Borges, 795
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
S C da Silva Lab Diagnose
(96) 223-4554
Av Raimundo a da Costa 336
Macapa, Amapá
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
José Carlos Esteves Gondim
(96) 3217-2200
Av. Raimundo Alvares da Costa 0000 - Posto da UNIMED
Macapa, Amapá
Especialidade
Administração em Saúde

Dados Divulgados por
M J Bahia Ltda - Me
(96) 3224-1569
av Coaracy Nunes, 1236, Central
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
L R Fernandes Garcia
(96) 3222-1645
av Ernestino Borges, 172, Laguinho
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
Paranhos & Vancan Fisioterapia e Odontologia Ltda
(96) 3223-8754
av Coriolano Juca, 265, Als, Central
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Clínica de Disfunções Sexuais

Fornecido por: 

Todos temos a idéia de que praticar sexo é uma atividade desejada por todos os homens. E que, à primeira dificuldade com o seu funcionamento sexual, fará com que o homem corra em busca de ajuda.

Se analisarmos os trabalhos que falam sobre a prevalência de disfunção erétil, por exemplo, aprenderemos que ao redor de 50% dos indivíduos com mais de 50 anos apresentam algum grau de dificuldade para ter uma ereção satisfatória. Isto nos leva a imaginar que os consultórios e clínicas médicas exibam filas de pacientes em busca de ajuda em suas portas.

Mas não é isto que vemos. Existem dados que apontam que menos de 15% dos homens com disfunção sexual buscam ajuda médica. E muitos, quando vão ao médico, não se queixam dos problemas sexuais.

É interessante perceber que, mesmo nos grupos de risco, como por exemplo, os diabéticos que costumam ir ao médico constantemente e nos quais a chance de desenvolver impotência sexual é grande, não ocorre esta queixa.

Qual a razão desta discrepância tão grande?

Um grande número de homens tem vergonha de se queixar de problemas sexuais, outros acham que o médico não vai compreendê-lo ou até que podem embaraçar o profissional. Para alguns, “este é um fato normal da vida” ou até acham que a disfunção sexual (DS) não é um grande problema na sua vida. Não se pode esquecer que boa parte destes pacientes tem mais de 50 anos e nunca teve muita informação sobre sexo e acha que a impotência sexual é “normal” no final da vida e que as pessoas, incluindo os médicos, não vão compreender um “idoso” querendo ter relações sexuais.

Porém, a grande maioria dos pacientes com DS gostaria que o médico abordasse as questões sexuais e, nesta situação, poderia “se abrir” e resolver suas queixas.

Entretanto, também o médico não questiona o paciente sobre sua função sexual. Na Inglaterra, apenas 12% dos homens e 6% das mulheres com disfunções sexuais e que queriam ser tratados receberam algum tipo de atendimento médico. É muito frequente o paciente diabético ser questionado sobre como está o seu pé, mas raramente é perguntado sobre seu pênis, embora o diabete melito seja um fator de risco importante para a DE.

Para muitos médicos, as DS não sendo uma doença com risco de vida não são uma questão importante. É muito mais ...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535