.
 

Centro de tratamento psicológico Rio Branco, Acre

Encontre centro de tratamento psicológico em Rio Branco. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Fabiana Pescador
(68) 3223-7915
av Brasil 303 - 7 s 702, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Débora Cristina dos Santos
(68) 3226-1347
r Rio de Janeiro 1124, Abrahão Alab
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Carolina Sátiro Macêdo
(68) 9207-0018
r Copacabana, 148 s 203 Cj Village, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Carolina Sátiro Macêdo
(68) 9207-0018
r Copacabana, 148 s 203 Cj Village, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Fabiana Pescador
(68) 3223-7915
av Brasil 303 - 7 s 702, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Débora Cristina dos Santos
(68) 3226-1347
r Rio de Janeiro 1124, Abrahão Alab
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Centro de tratamento psicológico

Fornecido por: 

Adolescentes cujos pais apresentam uma história de depressão possuem um risco particularmente alto de tornarem-se deprimidos. Agora, um estudo clínico verificou que um programa grupal, com pressupostos cognitivo-comportamentais, que ensina habilidades de compreender e de resolver problemas a tais adolescentes de alto risco, pode contribuir para a melhora do quadro.

Mas, o estudo também verificou que a taxa de sucesso do programa de prevenção variou, dependendo significativamente do estado de saúde mental dos pais dos adolescentes no momento em que eles iniciaram a intervenção. O programa apresentou-se muito mais efetivo que os cuidado padrões, principalmente se os pais não estivessem deprimidos quando do início da intervenção.

O estudo foi publicado recentemente na revista científica American Medical Association.

“Esses resultados nos surpreenderam?” disse Judy Garber, professor de psicologia e desenvolvimento humano da Universidade de Vanderbilt. “Há evidência na literatura que as crianças não respondem bem ao tratamento se um dos pais estiver deprimido”.

John Weisz, professor de psicologia da Universidade de Harvard, que não participou do estudo, disse que os resultados poderão ajudar a identificar os melhores candidatos para um programa de prevenção.

Ele comentou que podem existir várias razões para que o tratamento seja menos efetivo quando um pai está deprimido. “Pode ser que o risco biológico para a depressão se apresente maior nesses adolescentes – que os adolescentes cujos pais estiveram um dia deprimido e não estão mais".

Outra possibilidade é que residindo em uma casa, com ao menos um dos pais deprimido, torna-se mais difícil o desenvolvimento saudável da criança. Ele acrescentou uma terceira possibilidade, na qual os adolescentes modelam (copiam) o comportamento de seus pais.

O estudo utilizou uma abordagem clínica de grupo controle, randomizada e administrada em quatro cidades: Nashville, Boston, Pittsburgh e Portland, no estado do Oregon, Estados Unidos. Incluiu 316 adolescentes entre as idades de 13 a 17 anos. Todos possuíam pais que estiveram ou estavam deprimidos ao longo da vida do jovem.

Os adolescentes foram selecionados aleatoriamente para o programa de prevenção, que consistiu em oito sessões de grupo, num total de 90 minutos semanais, seguidos de seis sessões mensais. O grupo controle submeteu-se aos cuidados habituais, de modo distinto a metodologia cognitivo-comportamental em avaliação nesse estudo.

Enquanto quase u...

Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535