.
 

Centro Ginecológico Boa Vista, Roraima

Encontre centro ginecológico em Boa Vista. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

DR Luiz Guilherme Pereira
(95) 224-1758
r Melvim Jones, São Pedro
Boa Vista, Roraima
 
Wiliams Jahnsen Ferreira Silva
(95) 623-9988
r Barreto Leite, 46, Centro
Boa Vista, Roraima
 
Dra Sulamita Ferreira Mota Buttenbender
(95) 224-1460
r Melvim Jones, São Pedro
Boa Vista, Roraima
 
Alceste Madeira Almeida
(95) 224-6064
tv Castelo Branco, 1200, Centro
Boa Vista, Roraima
 
Mario Cesar Callegari
(95) 623-0480
pc Santos Dumont, 1706, Mecejana
Boa Vista, Roraima
 
Eugenia Clauci Moura Ferreira
(95) 224-0372
tv Castelo Branco, 55, Centro
Boa Vista, Roraima
 
Magnolia Sousa Monteiro Rocha
(95) 224-4963
av Nossa Senhora da Consolata, 383, e, Centro
Boa Vista, Roraima
 
Nilsu José Miguel Maluf
(95) 224-1671
r Dom José Nepote, 987, São Francisco
Boa Vista, Roraima
 
Paulo Roberto Lima
(95) 224-4310
av Nossa Senhora da Consolata, 1115, e, Centro
Boa Vista, Roraima
 
Clínica Mater Del Consultas e Exames
(95) 224-9197
r Coronel Mota, 1534, Centro
Boa Vista, Roraima
 

Centro Ginecológico

Fornecido por: 

O herpes genital é uma doença sexualmente transmissível e sem cura, pode ocorrer tanto em homens quanto em mulheres. Existem dois tipos de herpes, o 1, chamado de simples, que manifesta-se principalmente na região da boca, nariz e olhos, e tipo 2, que é o mais comum e acomete principalmente a região genital, ânus e nádegas.

De acordo com o ginecologista do Hospital Nossa Senhora das Graças, Dr. Almir Antônio Urbanetz, o herpes genital pode ocorrer e ser transmitidos por ambos os sexos. “O risco de transmissão anual do tipo 2 entre casais é de 16% do homem para a mulher e cerca de 6% da mulher para o homem”. Existe a transmissão não-sexual, mas é rara. Em gestantes, o risco de transmissão é maior: se a grávida adquirir o herpes genital próximo ao nascimento do bebê, existem 30% a 50% de chances de transmissão. “Mesmo que a mulher não tenha lesões visíveis, deve informar ao médico de que é portadora do vírus do herpes genital, se pretende engravidar”, salienta.

Os sintomas levam algum tempo para ficarem visíveis e se manifestam em forma de pequenas bolhas localizadas nos órgãos genitais. Essas bolhas causam ardor, vermelhidão e coceira intensa. Ao se coçar, a pessoa pode romper a bolha, causando uma ferida. Outros sintomas que também podem ocorrer são a meningite asséptica e problemas urinários.

A única forma de prevenção para o herpes genital é o uso de camisinha, pois a transmissão ocorre pelo contato com a lesão, explica Dr. Urbanetz. O tratamento para os dois tipos de herpes é feito com medicamentos via oral. “Não há tratamento para a cura da herpes, porém medicamentos antivirais podem diminuir e prevenir as erupções. Pacientes que apresentarem a doença seis vezes, ou mais, em um ano, devem fazer um tratamento supressivo, que adia e previne os surtos”, orienta.
 


Autor: Assessoria de Imprensa
Fonte: Expressa Comunicação


Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535