.
 

Analisando os sobreviventes de câncer na infância Macapá, Amapá

Pesquisadores constataram que, o câncer na infância aumenta os riscos de problemas cardiovasculares. "A exposição à medicamentos chamados antraciclinas aumentam o risco relativo de insuficiência cardíaca", cita o autor. Confira os detalhes da pesquisa.

Emilio C Germann
(51) 597-2618
r Epitácio Pessoa, 723
Campo Bom, Rio Grande do Sul
 
Vilson e Paulitsch
(53) 232-1759
r General Câmara, 441, Centro
Rio Grande, Rio Grande do Sul
 
Suheil S Elawar
(333) 521-2203
r Bernarda Laender, 189, São Diogo
Teófilo Otoni, Minas Gerais
 
Paulo J R L Aleixo
(114) 412-5031
pca B Paes, 106
Atibaia, São Paulo
 
Geraldo H Scheffer
(41) 345-3763
r Eng Arthur Bettes, 75, ap 1102, Portão
Curitiba, Paraná
 
DR Lecio Luiz Amaral do Patrocinio
(222) 772-4257
r Conde de Araruama, 440, labex, Centro
Macaé, Rio de Janeiro
 
Centro de Estudos Ecocardiograficos Ltda
(273) 315-4846
r Nossa Senhora da Penha, 595, te 2 sl 1006, Penha
Vitória, Espírito Santo
 
Jocildo R Figueiredo
(67) 321-3748
r Rui Barbosa, 3790, Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
 
Humberto M Lima
(68) 322-2898
tr Luiz Meirim Pedreira Bo, 2
Cruzeiro do Sul, Acre
 
Deolinda Mc Vasconcelos
(813) 628-0438
r Vigário Joaquim Pinto, 738
Limoeiro, Pernambuco
 

Analisando os sobreviventes de câncer na infância

Fornecido por: 



14/01/2010

Câncer na infância aumenta os riscos de problemas cardiovasculares, aponta estudo

O estudo foi recentemente publicado no British Medical Journal

Os sobreviventes de câncer na infância e adolescência apresentam um risco consideravelmente maior de desenvolver doenças cardiovasculares, segundo estudo recentemente publicado no British Medical Journal. De acordo com os autores, os profissionais da saúde devem estar atentos para esse risco ao tratarem dessa crescente população.

No estudo, pesquisadores de diversos centros norte-americanos avaliaram a incidência e os riscos de insuficiência cardíaca congestiva, infarto agudo do miocárdio, doença pericárdica e anormalidades valvulares em 14.358 adultos que sobreviveram ao câncer – incluindo leucemia, câncer cerebral, linfoma de Hodgkin ou não-Hodgkin, câncer renal, neuroblastoma, sarcoma de tecidos moles ou câncer ósseo – na infância e adolescência, entre os anos de 1970 e 1986.

As análises indicaram que a chance de apresentar insuficiência cardíaca (HR 5,9), infarto (HR 5,0), doença pericárdica (HR 6,3) ou anormalidades valvulares (HR 4,8) foi significativamente maior nos sobreviventes de câncer do que em seus irmãos. A exposição à 250mg/m2 ou mais de medicamentos chamados antraciclinas aumentou o risco relativo de insuficiência cardíaca, doença pericárdica e anormalidades valvulares de duas a cinco vezes em comparação com os sobreviventes que não foram expostos à antraciclina. E a exposição cardíaca à radiação com 1500 centigray ou mais aumentou as chances de desenvolvimento de insuficiência cardíaca, infarto, doença pericárdica e anormalidades valvulares de duas a seis vezes em comparação com os sobreviventes não irradiados. Além disso, a incidência acumulada de eventos adversos cardíacos em sobreviventes do câncer continuou a aumentar até 30 anos após o diagnóstico.

Fonte: BMJ 2009;339:b4606


Autor:
Fonte: Bibliomed


Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535