.
 

Analisando os sobreviventes de câncer na infância Brasília, DF

Pesquisadores constataram que, o câncer na infância aumenta os riscos de problemas cardiovasculares. "A exposição à medicamentos chamados antraciclinas aumentam o risco relativo de insuficiência cardíaca", cita o autor. Confira os detalhes da pesquisa.

Marisa Carla de Matos Queiroz
334-9033
Cardiologia Clínica Médica Geriatria
Brasilia, DF
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Reginaldo Edson Mendes Teixeira
3346-7574
Brasilia, DF
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Joanis Basile Garakis
3242-4080
Seps Qd 709/909 Sul Ed. Bio Cardios
Brasilia, DF
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Geraldo Jose de Souza
Brasilia, DF
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Maria Ancilla da Silva
3962-4410
Brasilia, DF
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Marcus Vinicius da Silva Amorim
(61) 3245-4042
Shls 716 Conj.a Pio X 5°Andar 507 - Sl.507 e 509
Brasilia, DF
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Vicente de Paulo Cavalcante de Almeida
(61) 3242-4080
Shls 716 Lote 06 06
Brasilia, DF
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Eustaquio Franco Carvalho
(32) 451-1430
Brasilia, DF
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Maria Natividade Santos C Lopes
356-2040
Brasilia, DF
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Antonio de Souza Goncalves
(32) 451-1430
Brasilia, DF
Especialidade
Cardiologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Analisando os sobreviventes de câncer na infância

Fornecido por: 



14/01/2010

Câncer na infância aumenta os riscos de problemas cardiovasculares, aponta estudo

O estudo foi recentemente publicado no British Medical Journal

Os sobreviventes de câncer na infância e adolescência apresentam um risco consideravelmente maior de desenvolver doenças cardiovasculares, segundo estudo recentemente publicado no British Medical Journal. De acordo com os autores, os profissionais da saúde devem estar atentos para esse risco ao tratarem dessa crescente população.

No estudo, pesquisadores de diversos centros norte-americanos avaliaram a incidência e os riscos de insuficiência cardíaca congestiva, infarto agudo do miocárdio, doença pericárdica e anormalidades valvulares em 14.358 adultos que sobreviveram ao câncer – incluindo leucemia, câncer cerebral, linfoma de Hodgkin ou não-Hodgkin, câncer renal, neuroblastoma, sarcoma de tecidos moles ou câncer ósseo – na infância e adolescência, entre os anos de 1970 e 1986.

As análises indicaram que a chance de apresentar insuficiência cardíaca (HR 5,9), infarto (HR 5,0), doença pericárdica (HR 6,3) ou anormalidades valvulares (HR 4,8) foi significativamente maior nos sobreviventes de câncer do que em seus irmãos. A exposição à 250mg/m2 ou mais de medicamentos chamados antraciclinas aumentou o risco relativo de insuficiência cardíaca, doença pericárdica e anormalidades valvulares de duas a cinco vezes em comparação com os sobreviventes que não foram expostos à antraciclina. E a exposição cardíaca à radiação com 1500 centigray ou mais aumentou as chances de desenvolvimento de insuficiência cardíaca, infarto, doença pericárdica e anormalidades valvulares de duas a seis vezes em comparação com os sobreviventes não irradiados. Além disso, a incidência acumulada de eventos adversos cardíacos em sobreviventes do câncer continuou a aumentar até 30 anos após o diagnóstico.

Fonte: BMJ 2009;339:b4606


Autor:
Fonte: Bibliomed


Clique aqui para ler este artigo na SIS.Saúde

.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - Rua Cel. Corte Real, 75 - Bairro Petrópolis - 90630-080 Porto Alegre-RS
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 8575.3535